Ser o exemplo – 139 de 365

exemplo

Muitas vezes em criança questionei as ações dos adultos. Não pela ação em si, mas pela falta de coerência que existia, uma vez que me era dito para fazer uma coisa e depois eles faziam outra.

Muitas vezes ouvi a tão famosa frase “Faz o que eu te digo e não faças o que eu faço”. Isso deixava-me dividida porque se me diziam para fazer algo e não o faziam, alguma coisa estava errada.

Como é que podia viver genuína e autenticamente se tudo passava de uma mentira?

As coisas funcionam através do exemplo. Mais do que aquilo que se apregoa, é aquilo que se faz, a forma como se age que conta.

Nunca poderia quer fazer parte de um mundo em que se é o que se quer que o mundo seja se as minhas ações não correspondem às minhas palavras.

Se quero que o mundo seja um lugar melhor, tenho que ser eu própria melhor e as minhas ações têm combinar com aquilo que eu quero experienciar.

Se quero um mundo de amor, tenho que eu ser amor. Se quero um mundo de aceitação tenho que aceitar.

O mundo é um reflexo daquilo que eu sou e quanto mais honesta for mais permitirei a mudança e a transformação para algo cada vez melhor.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Kien Do on Unsplash

Seja feita a vontade do todo – 138 de 365

vontade do todo

A minha ansiedade sempre foi causada pela falta de confiança na vida. Desde que comecei a ver a vida de uma outra maneira que me foi dito que o melhor era deixar que fosse feita a vontade do todo.

Mas eu não queria. Não porque não achasse que fosse o melhor, mas porque a vontade do todo poderia não ser a minha vontade e aí as coisas iriam sair do meu controlo.

É incrível que mesmo vendo que o tentar controlar me levava sempre a mais ansiedade e que me impedia de experienciar a vida na sua essência, eu acabava sempre por impedir que as coisas fluíssem.

Hoje ainda me deparo com momentos em que tento controlar, mas cada vez mais vou perdendo esta tendência. Seria bastante estúpido se não o fizesse, pois manter algo que apenas me prejudica é andar atrás de estar mal.

Basta um pequeno pensamento para alterar todo o estado de espírito. Ainda que eu não consiga definir que tipo de pensamentos aparecem na minha mente, quem decide os que são alimentados sou eu.

Enquanto não consigo alcançar uma mente calma e sossegada, vou dando mais atenção àqueles pensamentos que me transportam para um estado de harmonia com a vida.

Que seja feita a vontade do todo.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Holger Link on Unsplash

Viver aquilo que acredito – 137 de 365

viver aquilo que acredito

No passado eu abdiquei de algumas coisas com medo do que os outros pudessem pensar. Não fui atrás daquilo que queria com medo de ser julgada e moldei-me à imagem que os outros tinham de mim.

Ou será que a verdade é outra? Será que o que me motivou foi a opinião dos outros ou foi o medo?

É certo que vivendo numa sociedade muitas vezes somos influenciados por aquilo que deve ou não ser norma e que a imagem que buscamos é relativa àquilo que nos é passado como normal.

Mas chega a um momento em que tomamos consciência da ilusão em que vivemos.

Pelo menos no meu caso foi isso que aconteceu. Andei atrás de um ideal que me foi “vendido”, na esperança de ser feliz. Mas eu sabia que tudo isso era mentira. Bastava olhar para aqueles que me rodeavam.

Mas mesmo sabendo isso, eu ainda queria pertencer, queria fazer parte. Então continuava a seguir um padrão que eu própria impunha, usando a desculpa que os outros é que queriam que eu fosse assim.

Achei que era um ato de coragem escolher algo diferente, algo que estivesse mais em sintonia comigo. Mas era apenas uma ação inteligente.

O que é que é melhor: viver enganada e ao sabor daquilo que os outros querem ou largar aquilo que me é conhecido e finalmente sentir a felicidade que procurava?

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Vashishtha Jogi on Unsplash

Do interior para o exterior – 136 de 365

exterior

Desde pequenos que nos é passada a ideia de que não somos completos e de que a vida é uma constante busca por preencher um vazio.

Seja um relacionamento, uma carreira de sucesso; existe uma constante pressão para alcançar o topo, como se isso fosse a única coisa que importasse.

Se isso não acontecer, se não formos os melhores ou os mais bonitos, existe sempre aquela sensação que falta algo.

E falta algo sim… Mas não é nada que o exterior nos possa trazer.

Todos nós já somos completos e perfeitos e a vida não é uma frenética busca pelo topo, nem pelo destino.

Vida é apreciar o momento e crescer com as situações. É reconhecer o nosso valor e o valor dos outros e juntos, cada um com o seu percurso individual, fazermos o mundo um lugar cada vez melhor.

Só aquilo que se alcança estando bem pode trazer mais bem-estar. Já fiz muitas coisas boas, mas sempre com intenção de me preencher e elas apenas me trouxeram mais vazio.

Mas também já fiz coisas “insignificantes” sentindo-me bem comigo mesma que me trouxeram mais coisas do que eu poderia imaginar.

As coisas acontecem do interior para o exterior. O exterior é o reflexo do interior.

A melhor maneira de saber se aquilo que eu faço é algo de sucesso é estar atenta àquilo que sinto antes, durante  e depois de o fazer.

Não há nada melhor que terminar o dia sentindo-me bem com tudo o que aconteceu, ainda que nada tenha corrido como esperado. Sentindo-me bem com a pessoa que sou e sempre, sempre aberta à mudança e a melhorar a cada dia que passa.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Irina Kostenich on Unsplash

Fazer e largar – 135 de 365

fazer e largar

Uma mente sempre a trabalhar nem sempre é um bom sinal. Na maior parte das vezes a mente está a trabalhar tentando perceber e controlar a forma como os acontecimentos se desenrolam.

Há que fazer e largar, mas às vezes eu faço e tento controlar, em vez de deixar que o fluxo e processo da vida desempenhe o seu papel.

Tenho a certeza que não recebo muitas das coisas que vou “pedindo”, porque, no meio do turbilhão de pensamentos, perco o foco, questiono se isso é bom para mim, meço qual será a melhor altura para que isso se materialize na minha vida…

No final, ou já desisti daquilo que quero ou então estou tão envolta na minha bolha de questionamento que não me apercebo que aquilo que quero está mesmo ali, sem que eu o valorize.

É bastante interessante ver que sou eu que impeço que as coisas aconteçam e isso é causado por querer fazer aquilo que não me compete e por não fazer aquilo que deveria.

Há tantos aspetos que me fazem viver fora do presente. E é no presente que tudo se desenrola e que posso tomar decisões conscientes.

Por muito que eu me tenha treinado para “viver” ou no passado ou no futuro, a verdade é que em cada momento posso trazer-me para o presente.

Depois é só fazer e largar que tudo acontece de forma perfeita!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Joseph Barrientos on Unsplash

 

Confiar na vida – 133 de 365

confiar na vida

Aqui estou eu mais uma vez (uma de tantas outras) a escrever sobre confiar na vida.

É tão simples confiar na vida e deixar que tudo corra pelo melhor. A vida torna-se tão mais fluída e agradável e tenho muito mais tempo para usufruir de todas as bênçãos que me são trazidas diariamente.

Mas, na maior parte das vezes, ajo segundo a minha cabeça, ou seja, acho que de todas as possibilidades existentes, eu, com uma visão limitada, sei qual é a melhor e ainda mais; sei a melhor forma de as coisas virem até mim.

Cada vez tomo mais consciência da estupidez que é agir assim e principalmente começo a prestar mais atenção ao tempo que eu perco a pensar e no pouco tempo que eu passo a viver.

Há tanto em que me focar; tanta beleza, tantos sonhos, tantos projetos….

A vida é para ser vivida e não para ser controlada…

A cada dia que passa agradeço mais as pessoas que me rodeiam, os presentes que a vida me traz e aceito mais aquilo que eu sou.

Tudo é tão simples e muitas vezes dou por mim a rir-me da forma como complico tudo e faço “tempestades em copos de água”!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Raymond Lee on Unsplash

Holler Box

Pin It on Pinterest