Quem complica a vida sou eu… – 55 de 365

complica

A vida acontece sempre da forma mais simples. As melhores oportunidades surgem sempre na melhor altura; as situações desenrolam-se sempre de uma maneira perfeita. Mas isto apenas acontece quando eu permito.

Sempre que eu penso numa melhor maneira de algo ter acontecido ou que tento manipular as situações, estou a desrespeitar o fluxo e processo da vida e o resultado nunca é o melhor que poderia alcançar.

Olhando para trás, consigo ver inúmeros momentos, em que devido a tentar ter as coisas à minha maneira, acabei metida em confusões, ou melhor, criei situações menos agradáveis que poderiam ter sido evitadas se eu não tivesse interferido.

Pensar em possíveis cenários e naquilo que eu deveria agir quando eles acontecessem; remexer em coisas que disse ou fiz no passado que acabaram por me trazer sofrimento; tudo isto apenas me afasta mais da vida.

Se já está feito não posso desfazer. Se ainda não aconteceu não posso planear.

Mas, posso confiar na vida e focar-me em sentir-me bem comigo mesma, e aí tenho a certeza que nem o que fiz no passado, nem o que vou fazer no futuro, serão motivos de ansiedade ou de culpa.

Se mesmo manipulando, resistindo e controlando fui sempre encaminhada para resultados excelente, imagino se eu deixasse simplesmente flui.

A vida é simples… Quem a complica sou eu…

Ter consciência disto já é o primeiro passo para a mudança e para permitir que a minha vida se torne cada vez mais um paraíso.

Agora basta treinar e sempre que me vejo complicar parar para pensar na perfeição das coisas e na importância do confiar!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Autumn Mott on Unsplash

A vida é para ser vivida – 54 de 365

vivida

Viver para mim tinha a ver com a quantidade de experiências de que eu fazia parte. Quanto mais essas experiências alterassem o meu estado de espírito, mais valia a pena vivê-las.

Tudo aquilo que fosse desconfortável deveria ser evitado, pois apenas aquelas experiências que me agradassem é que deveriam fazer parte do meu dia-a-dia.

Mas isso não era realmente viver.

Viver não é fugir a situações ou procurar apenas o que me agrada. Não é fazer apenas aquilo que gosto, nem não ter que lidar com problemas.

Aquela procura por experiências novas e diferentes era, na maior parte das vezes, uma necessidade de preencher um vazio.

É importante passar por experiências e usufruir ao máximo delas, mas o principal foco deverá ser estar bem. Aí poderei finalmente compreender o verdadeiro significado de viver.

A vida é para ser vivida!

Viver é aprender a lidar com as situações e gostar de tudo o que faço. É ver que para cada problema há uma solução e que independentemente de aquilo que eu esteja a passar no momento, tudo passa.

Posso ver a vida como algo que estará sempre aqui para me ajudar ou posso achar que estou sozinha.

Mesmo nesses momentos em que me considerei abandonada, nada me faltou e tive inúmeras oportunidades de aprender a viver.

A escolha foi sempre minha e continua a ser: posso escolher viver ou sobreviver!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Simon Matzinger on Unsplash

Se quero, basta largar… – 53 de 365

largar

A minha mente passa o dia todo a funcionar. Poderia dizer que estou sempre focada nos meus objetivos, mas a verdade é que por vezes me deixo divagar.

Um dos meus principais objetivos, se não o principal, é sentir-me bem em cada momento. Estar a pensar naquilo que quero e como quero que as coisas aconteçam, não é muito compatível com o querer estar bem, pois na maior parte das vezes resulta em ansiedade.

Tenho reparado que quanto mais quero uma coisa, quanto mais tempo passo a pensar nela, mais bloqueio o fluxo e mais demoro a alcançar esse objetivo.

Mas quando largo, confiante que no momento certo as coisas vão acontecer, o milagre dá-se e dou por mim a receber as coisas muito mais cedo do que poderia imaginar.

Já escrevi várias vezes que controlar ou tentar que as coisas aconteçam de uma determinada maneira, apenas faz com que não esteja no momento presente para receber aquilo que almejo e com que eu não me permita estar bem.

Quando estou bem comigo mesma, estarei com certeza bem com o que me rodeia e tudo aquilo que eu receber irá contribuir ainda mais para o meu bem-estar.

Mas se isso não for a minha prioridade tudo o que vier será apenas para contribuir para um estado de ansiedade, medo e negação à vida.

Em primeiro lugar sinto-me bem comigo mesma. Depois basta sonhar, pôr ação e largar!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Ankush Minda on Unsplash

Uma oportunidade para crescer – 52 de 365

crescer

Todos os dias são repletos de oportunidades. Posso considerá-las oportunidades para crescer ou oportunidades para me sentir mal.

Por muito que me tenha sido passada a ideia que o destino está traçado, a verdade é que eu posso verificar que, através da minha postura altero o percurso das coisas e dito qual é o resultado final.

Não escolho exatamente o que acontece, mas decido se o que acontece é o melhor para mim ou é mais um empecilho no meu caminho.

O objetivo final é libertar-me do julgamento, do bom e do mau, do obstáculo ou do trampolim, mas enquanto isso não acontece, em vez de rotular uma situação como má posso vê-la como uma oportunidade de crescer.

Tudo aquilo que aconteceu até hoje na minha vida contribuiu para aquilo que eu sou. Mas mais do que isso; a forma como eu vi o que aconteceu permitiu que eu aprendesse uma lição ou que eu resistisse ainda mais à vida.

Treinar uma visão mais consciente da vida é algo extremamente gratificante. Quanto mais me liberto de conceitos e de barreiras, mais me entrego à vida e posso usufruir de todas as bênçãos disponíveis para mim.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Chang Qing on Unsplash

Culpa vs responsabilidade – 51 de 365

responsabilidade

A postura com que eu ajo é muito importante. Aliás posso mesmo dizer que é a postura que dita o resultado final de uma ação.

O motivo por detrás de muitas coisas que fiz no passado foi a culpa. Fiz muitas coisas “boas” porque me sentia mal por todas as “más” que fui fazendo. Não é que haja coisas más e boas, mas o sentimento por detrás de algumas delas não era o melhor.

Por vezes havia muito pensar e pouco agir, e em vez de mudar e passar a agir culpava-me da falta de ação. Quando agia fazia-o sempre tendo em mente o facto de o não ter feito antes, perpetuando o mal-estar.

Mas, quando comecei a agir com responsabilidade e com aceitação perante o fluxo e processo da vida o resultado começou a ser diferente.

A culpa perpetua o sofrimento e cria cada vez mais mal-estar. A responsabilidade permite a mudança e promove um bem-estar contínuo.

Antes de tomar alguma decisão e de agir perante qualquer situação preciso estar atenta ao que sinto e qual é a postura que estou a apresentar. Sinto-me bem naquele preciso momento?

Se a resposta for afirmativa posso agir ou tomar uma decisão. Mas se for negativa o melhor é escolher estar bem e agir a partir desse estado.

Responsabilizar-me é assumir o comando da minha vida e permitir que uma mudança aconteça. Culpar-me é continuar a criar sofrimento e semear mais daquilo que não quero colher.

A escolha é minha.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Madison Bersuch on Unsplash

Limites e barreiras – 50 de 365

limites

Como é que eu posso ter melhor se não usufruo e agradeço aquilo que tenho?

Como é que eu posso querer chegar a algum lado sem passar pelo percurso?

Como é que eu posso ser realmente livre se continuo a criar barreiras e limites?

A única pessoa que pode impedir o fluxo na minha vida sou eu própria. Fui eu quem criei todos aqueles limites e barreiras. Fui eu quem acreditei que não era capaz.

Mas assim como os criei posso destruí-los e permitir que eu faça parte da vida novamente.

É isso que tenho estado a fazer todos os dias.

Libertar-me das máscaras, dos medos e das inseguranças e rodear-me de gratidão, de certeza e de confiança.

A vida é tão simples quanto eu permita que o seja.

Cada momento é precioso e quanto mais usufruir e valorizar aquilo que tenho, mais irei permitir que melhores coisas fluam e que as coisas fluam de melhor forma.

Não poderia conceber a quantidade de bênçãos que iriam jorrar na minha vida, mas também elas não poderiam acontecer se eu não abrisse espaço para elas acontecerem.

A vida é bela basta aproveitá-la!

Obrigado!

Ângela Barnabé

 

Foto original por Sergei Akulich on Unsplash

Holler Box

Pin It on Pinterest