Quando irei ver os resultados? – 166 de 365

ver os resultados

Desde que comecei a partilhar a minha experiência relativamente ao que faço profissionalmente, que sou “confrontada” com a questão dos resultados.

Somos criados na cultura do instantâneo, em que se os resultados não forem praticamente imediatos, as coisas não valem a pena e parte-se à procura de algo “para ontem”.

Confesso que ver os resultados o mais depressa possível era algo que eu gostava muito ( e penso que ainda exista uma parte de mim que o prefira), mas consigo ver bem o que isso causa na minha vida.

Os resultados aparecem sempre na hora certa. Posso “bater o pé” e pensar que se algo viesse mais cedo (ou até mesmo mais tarde), mas se isso acontecesse seria um grande caos.

O que acontece muitas vezes é que estou tão focada no quando e como que não vou vendo que o que estou a colher foi semeado lá atrás e nem vou usufruindo daquilo que tenho a oportunidade de viver.

É bom finalmente colher aquela maçã que foi amadurecida na árvore. Sentir o seu aroma e deliciar-me com o seu sabor.

Mas para isso é necessário que a árvore passe por diferentes etapas, cada uma delas com a sua beleza e importância.

Se colher a maçã verde, o seu sabor será diferente.

A natureza sabe o que faz, não só para aquela maçã que desejo comer, mas também para todos os aspetos da minha vida.

Quanto mais cedo aprender essa lição, mais cedo poderei ter a capacidade para, não só comer todas as maçãs que me esperam, como também para apreciar todos os passos que permitem a sua criação.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Estar bem em primeiro lugar – 164 de 365

primeiro lugar

Quando ouvia falar em autoestima e em estar bem comigo mesma, pensava em todos os aspectos físicos da questão, como olhar-me ao espelho e sentir-me bem comigo, gostar do meu corpo…

Não compreendia muito bem quais seriam as “consequências” de ter uma boa autoestima e o que é que isso iria significar no meu dia-a-dia.

Estar bem comigo mesma não tem só a ver com a aparência, mas também com a forma como me sinto, com aquilo que penso e com a forma como vejo o mundo e a mim mesma.

Estar bem comigo mesma é ser coerente. É independentemente daquilo que aconteça, sentir-me bem e confiar na vida.

Ainda não consigo ter essa postura sempre, mas quanto mais a treino mais vejo as mudanças a acontecerem.

Enquanto eu não fizer as coisas partindo de uma postura do bem-estar, o resultado será sempre limitado e no fundo mais daquilo que eu não quero.

Se eu estiver bem vou focar-me no belo e vou fluir com a vida. Mas se eu estiver mal, vou focar-me no que não quero e vou resistir à vida e aos acontecimentos.

A solução para muitos problemas ( se calhar até mesmo para todos) é estar bem, pois a partir dessa postura tudo se resolve, tudo se aprende e tudo se pode mudar.

Obrigado!

Ângela Barnabé

As coisas acontecem no momento certo – 163 de 365

coisas acontecem no momento certo

Tenho quase a certeza que já escrevi pelo menos uma reflexão com este mesmo título, mas existem momentos na minha vida em que coisas que já pensei ter tomado consciência ganham uma nova luz.

Eu ainda consigo identificar em mim medo do desconhecido . Cada vez mais vejo o quanto isso é “estúpido”, porque o que é a vida senão um constante entrar no desconhecido? Ninguém sabe o que vai acontecer daqui a um segundo, portanto tudo acaba por ser desconhecido.

Tudo na minha vida aconteceu no momento certo. Nada podia ser mais perfeito. A forma como as coisas fluíram, os sítios para onde a vida me levou…

Nada podia me fazer prever que estaria a fazer o que estou a fazer hoje. Nem nos meus sonhos mais mirabolantes podia conceber que me podia sentir bem comigo mesma e que algum dia ia encontrar um sentido para a vida dentro de mim.

As oportunidades foram aparecendo de forma suave e quando eu me fechei a elas por medo e por insegurança, tudo se encaminhou para que no momento certo eu me deparasse novamente com elas e pudesse desenvolvê-las com uma nova segurança.

No meio de tudo isto fui me tornando em alguém mais seguro, mais responsável e mais feliz. Como é que eu posso não confiar na vida?

Perante provas constantes da perfeição do fluxo da vida, quais são os motivos para não confiar?

Obrigado!

Ângela Barnabé

O que acontece é sempre o melhor – 162 de 365

acontecem no momento certo

Não importa quantas vezes eu escreva, diga ou pense isto, fico sempre maravilhada com a forma como as coisas acontecem. É impressionante o facto de tudo o que acontece na minha vida ser sempre o melhor.

Posso não ver isso e resistir ao fluxo das coisas e ser ignorante ao ponto de achar que sei o que deve ou não acontecer, mas a vida nunca me falha.

Entro em ansiedade e fico envolta num turbilhão de pensamentos. E tudo isto para quê? Para nada, para além de causar mal-estar.

Por muito que eu dê voltas à minha cabeça, não consigo conceber qual será o melhor resultado para nenhuma situação.

Mas posso viver o presente e confiar que aquilo que acontecer vai ser o melhor.

Posso, em vez de julgar aquilo que fiz no passado, usar a minha experiência para saber aquilo que resulta e aquilo que não resulta.

Posso, em vez de pre-ocupar a minha mente com o futuro, usufruir de tudo aquilo que me é apresentado no momento.

Se as coisas acontecem sempre pelo melhor, para quê ficar com medo do que irá acontecer ou de não saber lidar com as situações?

Se eu não confiar vou passar por um processo doloroso de resistência à vida, para no final ver que de nada serviu todo aquele sofrimento.

Se eu confiar poderei usufruir de todo o caminho que me leva ao resultado final, que será sempre, mas sempre o melhor.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Libertar o passado – 161 de 365

libertar o passado

Quando comecei o meu processo de mudança e quando vi que tinha tantas crenças para libertar, fiquei bastante assustada, pois achei que só quando as libertasse todas é que poderia ver mudanças acontecerem.

Pensava muitas vezes no passado e ficava muitas vezes focada no que tinha acontecido e na necessidade de ver as coisas que aconteceram de forma diferente.

Ficava também preocupada com aquilo que ainda ia ter que fazer no futuro. Será que iria conseguir efetuar todas as mudanças que tinha que fazer?

Ultimamente tenho pensado em quanto esse comportamento é destrutivo.

Para que haja mudança não há que estar a remexer nem viver no passado e muito menos a pensar no que poderá acontecer no futuro.

Tenho que viver o presente, e através daquilo que eu aprendi com aquilo que fui vivendo, decidir de acordo com aquilo que faz mais sentido.

Não libertar o passado ou viver aquilo que ainda não existe é uma forma de impedir a mudança e de não viver.

Não é focada naquilo que devia ter feito ou nas crenças limitantes que criei que vou mudar alguma coisa hoje.

É agora, neste momento, que posso escolher fazer diferente.

Só existe um momento para mudar. Esse momento é agora!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Lidar com a ansiedade – 160 de 365

ansiedade

Pelos muitos conceitos errados acerca da vida e do seu fluxo que eu fui criando ao longo da minha vida, tornei-me uma pessoa ansiosa. Eu estava sempre num estado tal de ansiedade que no momento em que consegui ficar serena, senti-me estranha.

(É muito “interessante” o facto de eu, no passado, considerar normal o estado de ansiedade e não o estado de serenidade.)

Queria controlar a forma como as coisas se desenrolavam, a forma como os outros se comportavam… Tinha medo que as coisas não corressem bem e por isso achava que tinha que estar sempre em cima do acontecimento.

Mas estava a fazer tudo ao contrário. Ao manipular, controlar e tentar prever o que ia acontecer, acabava por complicar e por criar situações que não queria experienciar. E mais; no final, depois de ter aquilo que queria ( e muitas vezes algo ainda melhor), não conseguia apreciar as coisas devido a estar ansiosa.

Estava sempre esmagada pelo medo e pela culpa e quanto mais me deixava levar por isto, pior me sentia.

Se eu tiver como foco estar bem e de isso for a minha prioridade em todos os momentos da minha vida, estarei sempre no lugar certo, na hora certa, a fazer a coisa certa.

Hoje ainda tenho momentos em que sinto ansiosa. Mas sei que isso tem uma solução: confiar.

Confiar em mim, na vida, no mundo e sentir-me bem com aquilo que sou. Se eu fizer isso de certeza que a ansiedade se vai embora e é substituída por serenidade.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest