Viver o momento… – Reflexões Diárias

Quanto mais falo e escrevo sobre todas as coisas que me “incomodam” sobre mim e sobre a forma como lido com a vida, mais descubro que é tão simples mudar.

Em cada momento tenho tudo aquilo que preciso. As situações não acontecem de forma aleatória; as pessoas não aparecem por acaso; tudo acontece por um motivo.

Ao contrário do que eu pensava não preciso perceber o motivo, apenas tenho que estar atenta ao resultado. Não preciso ir buscar o que causou algo na minha vida, porque na maior parte das vezes essa procura parte de um julgamento.

No momento em que algo acontece, tenho a certeza, que comigo, estão todas as ferramentas, todas as soluções necessárias para lidar com determinada situação.

Mas para isso tenho que viver o momento. Tenho que estar presente, consciente de cada ato, palavra e pensamento, para que possa ter acesso àquilo que preciso.

Consigo fazer isso durante todo o dia? Não, não consigo.

Tenho consciência do quanto isso é importante e tenho treinado essa  postura. Mas também seria um pouco estúpido da minha parte não o fazer.

Não estou a viver esta vida para passar o tempo pre-ocupada com o futuro, nem para reviver o passado. Estou aqui para ser uma pessoa melhor, usando o que a vida me dá para isso mesmo.

A vida é a minha melhor amiga e vai estar comigo até ao meu último fôlego. Nos momentos mais difíceis tive sempre aquilo que precisava para “sair” dessas situações.

Mas é como estar no fundo do poço e ter uma corda estendida para poder subir. Tenho que agarrar a corda senão vou lá ficar.

Quantas vezes tinha a corda à frente dos meus olhos e andei à procura de outra solução? Quantas vezes decidi ficar lá no fundo, vitimizando-me?

É uma questão de escolha: deixo-me fluir, confio e sou feliz, ou quero as coisas à minha maneira e toda a felicidade passa-me ao lado.

Obrigado por este dia repleto de momentos!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Escolher um mundo melhor – Reflexões Diárias

Este fim-de-semana participei na 1ª Convenção Internacional de Saúde Integral e gostaria de agradecer por esta oportunidade e por tudo o que este maravilhoso evento trouxe. Em breve irei escrever um inventário sobre todos os pontos “importantes” desta convenção.

Na sexta-feira refleti sobre a gratidão, no sábado, apesar de não ter escrito a reflexão, tive presente o quão a vida é perfeita a encaminhar-nos para o melhor resultado possível e hoje refleti novamente sobre a gratidão.

Quando me sinto grata, entro no fluxo e fico disponível para receber todas as bênçãos que me são destinadas. Tudo o que me é apresentado é usufruído, independentemente daquilo que seja: comida, oportunidades, espaços, situações…

Mas quando o sentimento é contrário, quando nego e resisto àquilo com que sou presenteada, as coisas funcionam de maneira diferente. Por muito bom que seja aquilo que me é dado nunca conseguirei tomar consciência da imensidão desse presente, nem usufruir disso.

Hoje li algo como:  o presente é resultado da sementeira do passado e quanto mais ingrata sou, mais corto o fluxo e mais ingrata ficarei, aumentando sempre o mal-estar.

Mas se eu trabalhar a gratidão por tudo, mesmo aquilo que eu não gosto, só estarei a semear melhores coisas para mim e consequentemente para o planeta.

Porque quanto melhor estiver eu, melhor estará o mundo. Não posso ajudar ninguém se eu própria não estiver bem. Não posso nunca dar aquilo que não tenho.

É uma responsabilidade minha estar o melhor, o mais grata, o mais amorosa, o mais honesta possível, pois só assim poderei garantir que estou a semear uma colheita saudável e abundante para este mundo.

Estou grata pela oportunidade de poder contribuir com a minha experiência, com o meu percurso e principalmente com o meu crescimento, para o melhoramento e expansão do planeta que habitamos e que é a nossa casa.

Obrigado pelas oportunidades de escolher um mundo melhor.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

O meu caminho é a minha riqueza – Reflexões Diárias

Cada dia é uma nova oportunidade para viver a vida dos meus sonhos. E cada momento é o momento de viver a realidade que pretendo experienciar.

A  minha reflexão vai ao encontro de algo que tenho sentido ao longo deste dia maravilhoso: gratidão.

Pelo meu percurso, pela pessoa que sou, por me ter dado a oportunidade de ser uma pessoa melhor. Por todas as minhas decisões, por todos os momentos que permiti que a vida fluísse, ainda que me apetecesse resistir.

Tenho pensado muito na aceitação de mim mesma, da pessoa que sou.

Sem essa aceitação, todos os traços que não gosto em mim irão continuar cá, cada vez piores e mais visíveis.

Porque todas as minhas limitações são as minhas bênçãos. Aquilo que eu menos gosto em mim é aquilo que mais me trouxe crescimento, pois tive que aceitar essas características e me  permitir agir de uma forma diferente.

Hoje senti gratidão como nunca tinha sentido até hoje.

Parece que reconheci finalmente o valor de todas as experiências que vivi até hoje, e que independentemente da minha resistência, permiti-me ser alguém melhor, cada dia mais confiante, segura e com mais amor por mim mesma e por todos que encontro ao longo desta viagem que é a vida.

Obrigado, obrigado, obrigado!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Gratidão…

Partilha sobre “O Manual de Gestão de Stress” – Gratidão

Hoje encontro-me no 24º dia de “O Manual em Gestão de Stress” e o tema é a gratidão. Um dos objetivos deste dia é partilhar a gratidão que sinto por fazer este programa e por tudo o que ele proporcionou na minha vida.

E aqui estou eu a passar a minha mensagem.

Confesso que quando comecei a fazer este programa não tinha ideia de quantas mudanças iriam ocorrer na minha vida. Mudanças grandes e pequenas mudanças que fizeram toda a diferença. Hoje não sou de certeza a mesma pessoa que era há 24 dias atrás.

Neste momento, sinto-me como se entrasse num novo mundo, e estivesse a percorrer um caminho novo. Mas não é um caminho qualquer… Um caminho que me vai levar ao objetivo que defini no ínicio, mas que em vez de apenas me dar prazer quando alcançar o objetivo, já me dá plenitude, bem-estar e acima de tudo confiança que no momento certo tudo se vai compor.

Em alguns dias parecia que tudo corria mal e tive muitas vezes que reler novamente a ação do dia e seguir sugestões. Mas nada é o que parece. Nesses dias cresci muito, trabalhei situações que me impediam de andar para a frente, e no final do dia era uma pessoa nova!

O que posso retirar destes últimos 24 dias? Temos que baixar os braços, seguir sugestões e termos plena consciência que as únicas pessoas que podem mudar e interferir com a nossa vida somos nós.

Comigo resulta!


Ângela Barnabé

Holler Box

Pin It on Pinterest