O encerrar de um ciclo – 365 de 365 – Inventário anual 2018

Cada dia que começa marca o início de um novo ciclo. Dia 31 de dezembro de 2018 terminou um ciclo de 365 dias repletos de muita coisa: crescimento, alegria, felicidade e abundância.

Foi um ano de muita mudança e afirmo com toda a certeza que sou uma pessoa completamente diferente do que era no início deste ciclo.

Sou muito grata por tudo o que aconteceu: pelas pessoas que conheci, pelos sonhos que concretizei, pelos objetivos que criei e por aquilo que cresci.

2018 foi o melhor ano da minha vida!

Talvez porque decidi que seria isso o que iria acontecer; talvez porque independentemente do que foi acontecendo eu tenha escolhido que isso contribuísse sempre para que eu me tornasse uma pessoa melhor; ou mesmo porque em vez de ter ficado no caminho do fluxo tenha permitido (quase sempre) que as coisas acontecessem como deviam acontecer…

Dia 31 comemoro o encerrar de um ciclo; de 12 meses de criação, de 52 semanas de crescimento e de 365 dias de autodescobrimento.

Obrigado 2018 por todas as bênçãos e obrigado vida por, mesmo com toda a resistência, mesmo com a teimosia de querer as coisas à minha maneira, sempre me possibilitaste a mudança e a escolha de algo que estivesse mais em sintonia com o mundo que eu quero criar.

Obrigado 2018 e bem-vindo 2019!

Ângela Barnabé

Querido Novembro… – Inventário Mensal 2018

querido novembro

Querido Novembro,

Penso que todo este ano tem vindo a ser uma preparação para estes momentos intensos vividos neste último trimestre de 2018. Os últimos meses do ano costumam ser calmos, como que uma pausa antes do início de um novo ciclo de 365 dias que se seguirá.

Mas este ano não foi assim. Novembro trouxe muito crescimento, muitas lições e muita agitação. Mas isso é que é a vida; movimento, mudança e evolução.

Em vez de procurar a estabilidade, ao longo destes 30 dias tentei “habituar-me” à ideia de que viver não é procurar a zona de conforto. Sim, porque quanto mais cedo eu me habituar a essa ideia, melhor serão os meus dias.

A vida não pára e por mais que eu resista e me recuse a acompanhar o seu fluxo, as coisas sempre acontecerão da maneira que têm que acontecer.

Se eu resistir terei sofrimento, ansiedade e cada dia será apenas mais um dia. Se eu permitir o fluxo ( e me deixar levar com ele) terei bem-estar e confiança e cada dia será mais uma oportunidade para usufruir de todas as bênçãos.

Pelo que sei ( ou penso que sei) Dezembro ainda será mais movimentado e com certeza terei mais 31 dias para ser uma pessoa cada vez melhor, para que possa ter um mundo cada vez melhor.

Obrigado Novembro!

Ângela Barnabé

Querido Outubro… – Inventário Mensal 2018

querido outubro

Querido outubro,

Se eu pensava que agosto e setembro tinham sido intensos, tu mostraste-me que vinha por aí muito mais do que eu poderia imaginar.

Nestes 31 dias aprendi tanto, cresci tanto e trabalhei tantos aspetos em mim que é quase difícil reconhecer-me hoje, enquanto escrevo estas palavras.

Não dou por terminado o meu trabalho de crescimento, longe disso, mas ao deparar-me com todas oportunidades para crescer vejo que a única coisa que eu tenho que fazer é confiar e deixar-me ir.

Eu não sei não sei o que é o melhor para mim, não sei o que está por detrás dos acontecimentos, não sei onde a vida me leva… Mas sei que o que acontece é o melhor para mim. Sei que posso sentir-me feliz e realizada em cada momento.

Sempre ansiei uma vida estável, em que teria todos os meus objetivos realizados e seria só apreciar a vida.

Mas tenho vindo a tomar consciência que vida é crescimento. Que é naqueles momentos em que tudo parece um caos, que as coisas fazem sentido. Não é uma questão de lógica nem de tentar perceber.

É nesses momentos que baixo os braços, largo e confio que  por magia tudo se encaixa. Viver é tão simples e quem complica e cria todo o sofrimento sou eu quando tento entender.

Tudo tem um propósito e quanto mais depressa tomar consciência disso, mais depressa poderei usufruir realmente da vida.

Obrigado Outubro!

Ângela Barnabé

Querido julho… – Inventário Mensal

Querido julho,

Apesar de já ter passado algum tempo e de já estarmos prestes a “entrar” em Setembro, acho que é importante recordar e partilhar algumas coisas que vivi durante este mês.

Os primeiros meses do ano foram bastante “atribulados” na medida em que muitas coisas mudaram a uma grande velocidade. O mês de julho foi talvez um mês de reflexão e de preparação para o que os meses seguintes iam trazer.

Se existe algo que eu quero relembrar e levar comigo deste sétimo mês do ano é a importância de me sentir bem comigo mesma. Eu treino esse bem-estar e parece que quando me sinto melhor me esqueço daquilo que eu tenho que fazer.

Muitas coisas poderiam ser evitadas e muitas experiências bem melhor aproveitadas se eu não estivesse focada em aspetos que eu não gosto em mim ou em aspetos que eu considero limitações.

Hoje tenho uma consciência diferente (também pelas coisas que aconteceram ao longo do mês de agosto), mas se há algo que nunca posso esquecer, independentemente do que possa acontecer, é confiar em mim mesma e amar-me a aceitar-me como sou, permitindo-me sempre melhorar.

Isso melhora as minhas relações e permite que a vida flua de forma bem diferente.

Obrigado Julho!

Ângela Barnabé

Querido junho… – Inventário Mensal 2018

junho

Querido junho,

Parece que duraste tão pouco tempo…. Enquanto escrevo estas palavras, nem acredito que já estamos em julho. Apesar de teres passado tão rápido, trouxeste-me muitas aprendizagens e muitas experiências.

Foste um mês de correria, de movimento e mudança. Em alguns momentos resisti, mas aprendi que ocupar-me de coisas até me levar à exaustão só cria espaço para coisas que eu não quero na minha vida.

Refleti muito sobre o bem-estar e sobre a importância de estar bem para que tudo corra da melhor forma possível.

Sussurrei muitas vezes para mim mesma “confia”, porque é no confiar que está o segredo (ou um dos segredos para uma vida feliz).

No fundo, tudo corre sempre bem e tudo se encaixa na perfeição. Seja as pessoas, as situações ou eu mesma; se eu confiar e largar, para além de usufruir de todo o processo que me leva até aos resultados, sou sempre surpreendida no final.

Obrigado junho e bem vindo julho!

Ângela Barnabé

Podes ler os artigos do mês de junho clicando aqui!

Querido maio… – Inventário Mensal 2018

maio

De todas as lições que me trouxeste a mais importante de todas foi a de que se o meu foco for estar bem comigo mesma, tudo conspirará a meu favor para que isso aconteça.

Apesar de sentir que ao longo deste mês resisti algumas vezes, é sempre bom saber que qualquer mal-estar tem solução e mais do que isso, ter a certeza que a única forma de viver uma vida plena é estar atenta a mim mesma.

A vida de cada um é resultado da sua consciência e quanto mais estou atenta àquilo que vou sentindo e pensando ao longo do dia, mais facilmente vejo em que ponto me encontro realmente.

Viver é crescer sempre, todos os segundos. Não há que ter medo da vida nem resistir a ela, porque se o fizer todo o tempo em que estiver por cá será apenas uma ilusão.

Cada dia foi uma aprendizagem e cada pessoa que encontrei foi um mestre para me mostrar o que resulta e até mesmo o que não resulta.

Obrigado Maio!

Ângela Barnabé

 

P.S.: Eu sei que já estamos no final de junho, mas a “correria” de maio tem-se prolongado até hoje e vai continuar. A vida é assim mesmo, um rodopio de momentos que merecem a pena ser vividos. Obrigado mais uma vez!

 

Pin It on Pinterest

Copied!