O meu percurso – Reflexões Diárias

Hoje pensei um pouco no meu percurso. Nunca poderia imaginar estar no ponto em que estou neste momento.

Já senti raiva pelo meu percurso, pois achava que se as coisas tivessem sido diferentes, eu seria uma pessoa diferente.

Culpava a minha educação, o sistema, as pessoas que me rodeavam, pois considerava que elas eram responsáveis por aquilo que eu era. Vivia na ilusão, vítima dos acontecimentos.

Aos poucos comecei a ver que tudo aquilo não era a causa daquilo que eu sentia, mas sim o efeito daquilo que acontecia interiormente.

Mudei e as coisas mudaram, mas esse meu percurso continua cá e é isso que me faz ser a pessoa que sou hoje.

Os acontecimentos apenas me condicionam e me limitam se eu permitir que isso aconteça. A minha história foi escrita com a minha perspetiva da altura, mas agora posso reescrever todo aquele enredo à luz de uma nova visão.

Já achei que sabia tudo e que podia ensinar os outros como viver. Fui arrogante ao ponto de pensar que já tinha atingido um patamar que me fazia superior aos outros.

Mas depressa vi que tudo isso era uma outra forma de baixa-autoestima. Umas vezes sentia-me no topo e outras lá em baixo.

Cada dia escrevo uma nova página do percurso que é a minha vida. Cada dia é uma nova aprendizagem, uma nova oportunidade de crescer.

A vida é tão boa que nos dá a todos 24 horas por dia para que possamos usufruir e criar mais daquilo que desejamos.

O poder de mudar, de criar algo diferente está nas minhas mãos.

Se sinto que a minha vida está nas mãos de outros foi porque eu própria a coloquei lá. Já senti bem na pele o que é ver a responsabilidade da minha vida nas mãos dos outros.

Mas também já senti o prazer de criar a minha vida de sonho.

Obrigado por este dia repleto de alegria.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Mudar num estalar de dedos – Reflexões Diárias

Ao contrário do que eu pensava nada é permanente. Nenhum estado, nenhuma situação, nenhuma emoção dura para sempre.

Isso é bom. Naqueles momentos em que me encontro em situações desconfortáveis sei que tudo aquilo é momentâneo. Ou melhor, o que quer que eu esteja a sentir é mutável e por isso não durará para sempre.

Durará apenas o tempo que eu escolher que dure. Posso sair de qualquer estado num estalar de dedos, basta largar.

Os momentos em que me sinto plena também não durarão para sempre. Não significa que a plenitude não é eterna. Significa que à medida que expando a minha consciência o que estou a sentir, aquilo que acredito irá dar lugar a algo novo e isso acontecerá enquanto eu estiver a crescer.

Permitir que a vida flua ajuda-me a ser guiada para as melhores experiências e para que a cada momento eu possa ter os melhores resultados possíveis.

É tão engraçado olhar para trás e ver coisas que não conseguia ver e observar as coisas que sempre quis agora na minha mão.

Posso escolher deixar fluir e isso não significa que as coisas correrão à minha maneira, mas sim que irão correr da melhor forma possível.

Posso escolher estar bem e isso não depende de nada exterior. Aliás o exterior depende daquilo que eu escolho interiormente.

No fundo, a minha responsabilidade é estar bem e quando não estou bem é escolher mudar num estalar de dedos.

Cada segundo que passo “mal” é um segundo de mal-estar que semeio neste mundo, contribuindo para o mal-estar do mundo.

Cada segundo que estou bem é um segundo de bem-estar que semeio neste momento, sendo uma pessoa melhor e criando um mundo cada vez melhor.

A vida acontece num estalar de dedos. Basta aproveitar.

Obrigado por este dia cheio de vida!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

O tempo que for preciso – Reflexões Diárias

O tempo é apenas uma ilusão e cada vez mais me apercebo disso. “O tempo é a distância entre a ação e o resultado” diz muitas vezes o António e se pensar bem essa definição de tempo é bastante “certa”.

Um dia tem 24 horas e todos temos esse mesmo tempo. É incrível o número de oportunidades que cada dia me traz.

Cada dia traz-me mais maneiras de me conhecer e mais situações para que eu possa trabalhar a minha autoestima.

É mais um passo em direção aos meus objetivos e mais aprendizagens.

Hoje estou a colher coisas que semeei há algum tempo e a semear novas que não sei quando irei colher. Pode ser amanhã ou numa altura em que não me lembrarei mais da época em que as deixei crescer.

Não existe motivo para pressa, para correria. A vida só existe agora e dura o tempo que durar.

Não sei quanto tempo durará a minha passagem por este planeta, mas sei que a melhor forma de aproveitar este tempo é sendo feliz.

Estou muito grata por todo o caminho que percorri até aqui e tenho como objetivo continuar esta caminhada sendo a cada dia que passa uma pessoa cada vez melhor.

Obrigado por este dia cheio de “tempo”!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Aceitação: o primeiro passo para a mudança

Desde sempre me foi dito que o primeiro passo para mudar algum aspeto na minha vida seria a aceitação. Sem aceitar uma determinada característica em mim não haveria forma de a mudar.

Nos últimos meses tenho trabalhado na minha autoestima e por isso tenho trabalhado muito a aceitação.

Foi um caminho que eu sempre resisti e adiei trabalhar, mas foi inevitável passar por esse processo.

Já escrevi sobre como consigo relacionar diversos aspetos às fundações de uma casa e do quão importante é a estrutura de uma construção.

Se eu não me aceitar completamente, mudando a imagem que tenho de mim mesma, tudo o que eu possa fazer (afirmações, pensamento positivo) é tentar construir algo sobre uma grande base de lixo.

Comecei a observar o quanto o facto de não me aceitar interfere em toda a minha vida. Por muito que eu tente dar a volta, vou acabar sempre por tentar agradar, por construir máscaras, por perseguir uma imagem de mim mesma, em vez de ser quem realmente sou e de viver a vida de uma forma plena.

Enquanto uma verdadeira mudança de conceitos relativos a mim mesma não ocorrer, tudo será uma ilusão pois a base é aquela que criou o sofrimento em primeiro lugar.

Quanto mais me aceito, mas sou aceite pelos outros e as minhas relações e os meus atos em relação aos outros são baseados em algo genuíno e não na minha falta de amor próprio.

É horrível mendigar por amor e fiz isso muitas vezes. Ainda consigo sentir o aperto no peito causado por me tentar modificar para receber amor dos outros.

Tem que haver uma altura em que se diz “Basta!” e se começa a fazer o que é realmente necessário, mudar.

Ao dar o primeiro passo, a caminhada já está iniciada e é só seguir caminho, confiante que terei sempre o que é preciso e que todo o amor do mundo está aqui comigo.

Obrigado por este dia cheio de aceitação.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Tudo é tão simples – Reflexões Diárias

Estes dias tenho observado a simplicidade das coisas. Quando permito que tudo flua, desligando o complicómetro, a vida fica tão mais fácil.

Tenho treinado deixar que as coisas fluam. Apesar de ainda não conseguir passar todo o tempo nesse estado, nos momentos em que o faço já consigo ver a diferença.

Tarefas que antes eram muito demoradas, agora são feitas rapidamente. Coisas que eu achava impossíveis de realizar, agora são possíveis e para além disso abrem cada vez mais possibilidades.

Aceitar-me tem sido cada vez mais fácil e isso era uma tarefa que eu considerava impossível. Ver mais claramente a realidade que me rodeia é cada dia mais simples. Sentir-me segura e confiante já não é aquele bicho de sete cabeças.

As coisas são tão fáceis quanto eu permito que elas sejam. Não é necessário muito esforço para mudar crenças, nem muito tempo para ver as mudanças acontecerem.

Tudo pode acontecer num piscar de olhos. Mas para isso tenho que fazer a minha parte.

Ser coerente com aquilo que quero viver, ser honesta para comigo mesmo e naqueles momentos em que me apetece parar de crescer porque isto já é suficiente lembrar de todos os momentos em que me contentei com pouco.

É muito mais fácil deixar que as coisas se desenrolem da melhor maneira, do que me apegar ao controlo e garantir que o resultado vai ser apenas ilusório.

É muito melhor manter uma postura de aceitação e de gratidão, vivendo cada momento na expectativa do melhor que pode acontecer.

É tão, mas tão bom apreciar cada pequeno momento, confiante que terei sempre o que é preciso, no momento em que for preciso.

Viver é uma das coisas mais bonitas que existe e é também uma das coisas mais simples.

Obrigado por este dia repleto de simplicidade.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Confiar, confiar, confiar – Reflexões Diárias

Já há algum tempo que não escrevo sobre confiar, mas hoje aqui estou eu com mais uma reflexão sobre este tema.

Ainda me interrogo sobre a minha falta de confiança em relação à vida. Porque é que ainda insisto em querer as coisas à minha maneira, quando sei que tudo flui sempre da melhor forma, desde que eu permita?

É que é uma atitude bastante ignorante, querer controlar tudo, mesmo sabendo que eu só consigo abranger uma ínfima parte da realidade.

Logo eu que sou míope e que tenho uma visão bastante limitada daquilo que me rodeia.

Hoje, ao olhar para trás, vi que se eu tivesse tudo o que queria no momento em que o quis, agora estaria num estado lastimável.

Com o desenrolar da vida vejo que tudo é perfeito. As coisas acontecem no momento certo, da melhor forma e o resultado é sempre o melhor para mim.

Todo o sofrimento, toda a ansiedade são causados pela resistência à perfeição que é a vida.

Posso ver diversos momentos em que na altura pensei que estava a acontecer o pior e mais tarde vi que o que aconteceu foi o melhor, pois esse acontecimento despoletou uma grande mudança.

Mas mesmo sem ver nenhum benefício, qual é a melhor opção? Confiar que tudo está a correr da melhor maneira e sentir-me bem ou duvidar e zangar-me com a vida e com essa postura criar mal-estar?

Já escrevi sobre escolha e sobre o facto de a minha energia ditar o resultado.

Se eu sei que a escolha é minha e que aquilo que eu realmente sinto é o que influencia o resultado, porque é que eu teimo em focar-me naquilo que não é a minha parte?

Saber como as coisas irão correr não é da minha responsabilidade.

Só tenho que me focar no que quero e confiar que no momento certo terei tudo o que preciso.

Obrigado por este dia maravilhoso.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Pin It on Pinterest

Copied!