Ao longo deste fim-de-semana e durante o dia de hoje tenho tido muito presente o deixar que as coisas fluam. Já tinha escrito sobre o facto de quando deixo fluir, as expectativas serem sempre superadas, mas nunca tinha sentido isto da maneira que estou a sentir hoje.

Tenho reparado nas “coincidências” que foram acontecendo: pessoas que aparecem, oportunidades, emails, etc… Coisas que eu não poderia imaginar, mas que encaixam perfeitamente naquilo que eu precisava.

Então pensei: “será que isto é um momento de sorte?” e cheguei à conclusão que existem dois aspectos que posso considerar.

Primeiro, tenho treinado o deixar fluir e não resistir quando as coisas não correm como esperado. Esta postura tem permitido que tudo flua de uma forma diferente, proporcionando que eu seja direcionada para soluções perfeitas para os meus problemas.

Depois, sendo que estou a fluir, estou mais desperta, confiante e segura o que me permite absorver aquilo que me rodeia e que usufrua das oportunidades que chegam, em vez de viver envolta num manto de medo e insegurança que me tolda a visão, em todos os sentidos.

Deixar a vida acontecer, participando no seu desenrolar com a ação focada nos objetivos, é algo a ter presente.

O maior objetivo é estar bem. Posso desejar muito um carro, mas de que me servirá ele se eu não me sentir bem comigo?

Se eu estiver bem, em gratidão, aceitação e amor, tenho a certeza que tudo será uma bênção, que os objetivos serão concretizados, que as oportunidades aparecerão e que tudo fluirá.

Cada vez vejo mais que a melhor forma de viver a vida é deixar-me guiar pelo que acontece, sonhando e usufruindo.

Todas as complicações vêm de preconceitos, todos os medos vêm da falta de confiança e todos os fracassos vêm de uma perspectiva dualista.

É tão fácil viver e deixar fluir. Difícil é resistir e  complicar a vida!

Obrigado por este dia!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Podes também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest