Escolher é talvez um dos temas mais falados do mês de novembro, porque de certa forma, uma das coisas sobre as quais tenho refletido é o meu poder de escolha.

A vida como eu a experiencio neste momento é escolha minha, bem como todas as ações, reações e comportamentos que tenho conhecimento.

Quando era pequena queria ser uma pessoa melhor, para ser mais reconhecida, valorizada e para receber mais amor.

Mas, há alguns anos percebi que se quero ser melhor tenho que o escolher fazer por mim.

Ser melhor não tem nada a ver com algo exterior a mim, apesar de influenciar tudo o que me rodeia.

Ser melhor é escolher o paraíso e usufruir dele, consciente da minha responsabilidade enquanto cidadã deste mundo.

Seguir os meus sonhos e viver com expectativa do melhor cada segundo da minha existência podem ser considerados alguns requisitos de ser uma pessoa melhor.

Mas não posso fazer isso se ando à procura de ser reconhecida e valorizada devido àquilo que faço.

Às vezes ainda sinto que é fácil deixar-me levar pelos encantos dos elogios e de corresponder às expectativas dos outros, mas o vazio deixado por isso é tão grande.

A única coisa que eu posso permitir que os outros exijam de mim é que eu seja o mais autêntica e honesta possível comigo e com os outros, porque isso é a única forma de ser feliz.

Para ser melhor eu tenho que estar bem. E para estar bem tenho que me amar, tenho que me aceitar, tenho que honrar os meus sonhos e estar “orgulhosa” de tudo o que faço.

Basta imaginar todo o amor que eu gostava de receber. Depois é dar todo esse amor a mim mesma.

Por vezes a maior inimiga de mim mesma sou eu. Mas facilmente posso reciclar isso e passar a ser o ser amoroso que gostava de ter como companhia.

Obrigado por este dia repleto de oportunidades para ser melhor.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Podes também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest