Eu sei que não há verdades absolutas, e o que para mim é absolutamente inquestionável para outra pessoa pode ser algo susceptível a dúvidas.

Mas neste caso não é isso que está posto em questão. É a suposta felicidade onde todos nós dizemos viver.

Se formos perguntar à alguém na rua se é feliz, ela provavelmente vai negar. Porquê? Por que tem que trabalhar todos os dias, por que lhe dói a cabeça, por que tem de ir arrumar a casa, fazer o jantar… E podia estar aqui infinitamente a enumerar desculpas que justifiquem o facto de não sermos felizes.

Mas isto tudo não passa de uma fuga à própria felicidade.

Se, por exemplo, em vez de considerarmos o facto de ir trabalhar como um “frete”, o fizermos com uma postura de aceitação e de amor, tudo fluirá à nossa volta. O dia de trabalho irá correr melhor, e poderemos usufruir melhor das coisas que nos rodeiam.

Em vez de nos focarmos nos aspetos negativos do que nos rodeia, devemos apreciar a beleza das coisas e olha-lás com amor. Tudo depende da nossa postura, da forma como reagimos em relação à nossa vida. Se não estamos satisfeitos com a nossa vida podemos sempre mudá-la, pois somos nós os criadores da nossa realidade.

A nossa felicidade só depende de nós e está nas nossas mãos permitir que esta entre nas nossas vidas.

Por isso do que é que estás à espera para seres feliz?


Ângela Barnabé

Podes também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest