realmente quero

Ao pensar em todo o meu percurso de vida, vejo o quanto eu não sabia o que queria. Navegava no dia-a-dia, atrás de muitas coisas, achando que era isso que eu queria, mas no fundo só me estava a enganar a mim mesma.

Dizia que queria uma coisa mas quando aparecia a oportunidade de o fazer, arranjava desculpas e justificações para adiar e fugir àquela situação.

Algumas vezes era por medo, outras porque complicava todo o processo que me levava ao meu objetivo e acabava por perder a vontade; mas a maior parte das vezes era porque andava atrás de coisas que não queria realmente.

É preciso estar atenta ao motivo que me leva fazer e a querer alguma coisa.

Desde pequenos somos ensinados a querer um conjunto de coisas porque elas supostamente contribuirão para a nossa felicidade.

Apesar de ter conseguido alcançar algumas dessas coisas, a verdade é que não me sentia feliz. O motivo por detrás de tudo aquilo que eu fazia nunca ou quase nunca era relacionado com o meu bem-estar.

No fundo era sempre uma busca por preenchimento, para que gostassem de mim…

Com o tempo fui perdendo a vontade de fazer alguma coisa e os dias eram apenas um arrastar constante.

Nos últimos tempos tenho-me libertado do fazer por fazer e tenho-me focado no fazer porque é isso que eu realmente quero.

Com o tempo os sonhos, a criatividade e a vontade de surfar as ondas da vida é despertada e a vida passa a ser aquilo que sempre deveria ter sido: uma bela viagem!

Obrigado por este dia!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Pin It on Pinterest