No último trimestre de 2017 resolvi desafiar-me a mim mesma. Apesar de já ver a vida de uma outra maneira, ainda jogava um pouco pelo seguro e tomei a decisão de fazer coisas que sempre quis, mas que tinha medo de não conseguir.

Comecei a fazê-lo na cozinha, aventurando-me em novas experiências culinárias e posso dizer que tem sido uma experiência muito interessante. Nem sempre o resultado final é o pretendido, mas existe sempre uma grande aprendizagem.

Esta tentativa de expandir os meus limites faz-me muitas vezes interrogar se serei capaz. O medo de errar e de que o resultado das minhas ações não seja benéfico, foi sempre uma coisa muito presente na minha vida.

Isso levou-me ao perfeccionismo e à ansiedade e impediu-me, durante muito tempo, de fazer coisas novas e de explorar todos os meus desejos e sonhos.

Aos poucos tenho-me libertado dessa vontade de querer fazer bem e, em vez disso, ter como objetivo fazer, confiando em mim e na vida.

Será que eu consigo? Depende. Se acreditar que é possível e que consigo transformar a imagem que tenho na mente em algo real, dentro de algum tempo irei experienciar isso na minha vida.

Mas se duvidar, se questionar as minhas capacidades, a energia necessária para realizar um sonho será utilizada para refutar essa ideia e para provar que não sou capaz.

A seu tempo tudo acontece. Se consigo conceber algo na minha mente, consigo realizar isso mesmo. Pode não ser como e quando quero, pode não vir da maneira que eu queria, mas com certeza que irei ter o que sonhei.

Trata-se de confiar na vida e no seu processo e também em mim e nas minhas capacidades. A vida seria muito injusta se me deixasse sonhar e não me deixasse realizar.

Quem decide se é possível ou impossível sou eu!

Obrigado por este dia repleto de possibilidades.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Foto original por Kyle Glenn on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!