Nem sempre as coisas acontecem como eu quero e ainda bem. A minha consciência limitada não me permite de momento conceber todas as oportunidades que estão reservadas para mim.

Não posso usufruir apenas das coisas que já me são conhecidas e que já estou habituada a fazer; tenho que estar pronta a desfrutar de todos os momentos, ainda que não sejam aquilo que eu esperava.

Quando me abro ao fluxo das coisas permito que tudo o que é de melhor surja na minha vida e essa minha postura ajuda-me a retirar toda a aprendizagem  de uma determinada situação.

A expectativa, algo que eu alimentava muito, para além de colapsar a onda de possibilidades, não me deixa usufruir de algo, mesmo que isso seja muito melhor do que aquilo que eu estava a antecipar.

A resistência àquilo que surge apenas perpetua o sofrimento e ao invés de me permitir resolver determinada situação de vez, adia o processo de aprendizagem, obrigando-me a viver novamente a mesma situação.

Cada dia é uma nova oportunidade de por em prática tudo aquilo que vou aprendendo e tomando consciência e é no dia-a-dia que vão surgindo as oportunidades de desenvolver aquilo que quero ser.

Ainda existem momentos em que a tendência é agir “como antes”, mas ao ter em mente a melhoria contínua, mesmo que resista à vida e que negue o fluxo, facilmente me coloco novamente em cima da prancha e aprendo com a situação.

Antes culpava-me de não ser perfeita e de muitas vezes continuar a fazer o que fazia antes, mas isso não resolvia nada, apenas criava mal-estar.

A vida é um treino e quanto mais cresço, mais claramente vejo coisas que até hoje nunca tinha imaginado.

É necessário decidir mudar e dar o primeiro passo. A partir daí é só fluir e deixar a vida acontecer.

Obrigado por este dia repleto de alegria.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Foto original por Lukas Schweizer on Unsplash

Pin It on Pinterest