Sempre responsabilizei as situações e as pessoas pelas reações que tinha. Achava que toda a raiva, descontentamento e irritação eram causados por aquilo que a vida trazia até mim.

Mas, cheguei à conclusão que não é bem assim que as coisas funcionam.

Se algo acontece na minha vida eu sou responsável por isso. A minha reação, para além de ser também da minha responsabilidade, é também um espelho daquilo que eu sinto.

Se eu afirmo que já confio na vida, mas perante a situação, a dúvida “salta”, significa que por trás daquela afirmação, havia algo diferente.

Não foi a situação que causou a dúvida; o que aconteceu apenas trouxe à tona aquilo que já existia em mim.

Mas e o que fazer quando a reação que se tem não é coerente com a realidade que se quer viver?

A melhor forma de mudar algo é, no momento em que isso acontece, escolher agir em vez de reagir e escolher mudar aquilo que se tem feito.

Quando, por exemplo, afirmo que estou no fluxo da vida e resisto a algum acontecimento, em vez de me deixar levar pela resistência e em vez de a alimentar, escolho deixar ir aquilo que não quero sentir e escolho sentir aquilo que quero experienciar.

O primeiro impulso foi a resistência. Mas posso usar isso para treinar entrar no fluxo e confiar na vida.

Se “saiu cá para fora”, estava lá dentro. E já que está cá fora, aproveito para reciclar e fazer uma “limpeza”.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Copied!