fluxo da vida

Existe uma distância entre largar e controlar. É uma distância fácil de percorrer e faz uma diferença descomunal na forma como as coisas fluem na minha vida.

Uma parte de mim, por medo ou por ainda querer que o mundo gire à minha volta, que insiste que sabe como as coisas se devem desenrolar para um melhor resultado possível.

Mas há outra parte, bem mais consciente, que permite que o fluxo da vida cumpra o seu papel.

É aquela que aprende com as experiências, que se abre à vida e que se sente satisfeita e grata por tudo aquilo que a vida lhe traz.

Uma parte que se responsabiliza e que com isso permite que tudo mude da melhor forma possível para todos.

É essa parte que eu venho alimentando.

Muitas vezes, ainda existe aquele sentimento que apenas me leva a fazer coisas que me trazem mal estar.

Mas existe porque eu ainda o alimento. Porque ainda há uma parte de mim que procura o estar mal.

Isso não é fácil de ver nem de admitir a mim mesma, porque o natural não seria isso; seria procurar sempre o bem-estar.

Mas isto é como uma planta. Coloco a semente na terra preparada e vou regando-a e eliminando as ervas daninhas, para que ela possa prosperar e à medida que cresce dar frutos, sombra ou que que quer que a vida me traga!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Mason Field on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!