abrir os olhos

Artigo 17 da série “As Aventuras de uma Míope”

Apesar de não escrever um texto da série “ As Aventuras de uma Míope” há bastante tempo, continuo a trabalhar na melhoria da minha visão. Partilho o meu dia-a-dia nas minhas reflexões diárias e à medida que vou expandindo a minha consciência, vou também expandindo o meu campo de visão.

Estou a escrever este texto, porque nos últimos dias tenho observado a evolução na minha visão. Têm sido muitos os momentos em que vejo claramente aquilo que me rodeia.

Tenho-me interrogado sobre o porquê das oscilações na clareza com que vejo o mundo. Será que eu não vejo bem as coisas porque não “abro os olhos”?

Quantas vezes passo por coisas e apenas reparo nelas passado bastante tempo? Quanto tempo demoro a verificar uma mudança na minha vida?

Será que muitas vezes vejo “mal” porque ainda estou agarrada à ideia de falta de clareza?

Eu sei que a clareza de visão (ou a falta dela) é causada pelo meu estado de espírito. Mas tenho pensado que muitas vezes eu transporto determinados estados de espirito do passado para o momento presente.

Se no passado, perante uma dada situação, me senti ansiosa, acredito que hoje, perante a mesma situação, me sentirei na mesma assim.

Mas as coisas mudaram. Sou uma pessoa diferente e aquilo que posso sentir é também diferente.

Será que o problema é eu não abrir os olhos para as mudanças que foram ocorrendo?

Ângela Barnabé

Foto original por Khürt Williams on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!