O que eu aprendi ao escrever um artigo (quase) todos os dias — #Aprendizagens

Desde que comecei a escrever artigos para blogs e a criar conteúdo para redes sociais que sei da importância da assiduidade com que os conteúdos são publicados.

Todos os anos, durante três anos, pus como intenção escrever um artigo por dia para o meu blog. Nos primeiros dois ou três dias conseguia cumprir o objetivo, mas depressa perdia o foco.

Quando conseguia realmente escrever, era motivada pela culpa de não o ter feito antes.

Em 2017 decidi escrever reflexões diárias para me ajudar a libertar de pensamentos, medos e inseguranças e para partilhar as minhas experiências da minha jornada de mudança.

Conclusão: durante dois anos escrevi artigos quase todos os dias e existem dias em que escrevo mais do que um texto.

O que mudou? O que é que me levou a ir de escrever um texto por mês a escrever um texto por dia?

Analisando todo o percurso, através da minha experiência, o que mudou foi a minha intenção e o motivo que me levava a fazer as coisas.

Antes queria escrever para movimentar o meu blog, para aumentar os meus rendimentos e até mesmo para criar uma imagem na Internet.

Hoje, apesar de ainda ter como intenção aumentar os meus rendimentos, não escrevo com esse propósito; escrevo sabendo que ao fazer a minha parte e ao usar as ferramentas e aquilo que tenho ao meu alcance, permito que as coisas fluam e que no momento certo as coisas aconteçam.

Todos nós temos talentos e é da nossa responsabilidade desenvolvê-los. A energia da criatividade está presente em nós e ao pormos essa energia em movimento asseguramos que nada nos falte.

Ao escrever artigos para o meu blog consegui diretamente atingir os meus objetivos? Não, mas ao pôr ação nas ferramentas que tinha ao meu alcance, desencadeei um processo para que fosse encaminhada para aquilo que era o melhor para mim.

Ao fazer aquilo que era preciso e aquilo que estava ao meu alcance, sem tentar prever aquilo que iria conseguir e estando motivada pela melhoria contínua e pelo meu crescimento, permiti que tudo acontecesse da melhor maneira.

Então, no meio de tudo isto, o que é que eu aprendi ao escrever artigos (quase) todos os dias?

  • Aprendi que o que nos motiva a fazer as coisas influencia não só o resultado final, como também a forma como fazemos as coisas;
  • Aprendi que se usar o que tenho ao meu alcance serei encaminhada para aquilo que quero e, ainda mais importante do que isso: serei encaminhada para o que realmente preciso.
  • Finalmente aprendi que se fizer as coisas pelo prazer de as fazer em vez de ter apenas em mente o objetivo poderei não só usufruir da viagem e do crescimento que ela traz, como também irei valorizar muito mais o destino final.

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest