3 lições que aprendi em junho – 2020

3 lições de junho

Junho marca o início do verão e com ele termina o primeiro semestre do ano. Como não poderia deixar de acontecer, este mês trouxe-me diversas aprendizagens, seja pelas situações experienciadas, seja pelas emoções com que lidei e com os conceitos que surgiram para que eu pudesse reciclar e mudar.

Deixo aqui três lições que aprendi em junho, das muitas que este mês me trouxe:

Tudo muda a todo o instante: planos, esquemas e tentativas de controlo não servem para nada de útil, só criam sofrimento e limitam as possibilidades que a vida tem para mim. Aquilo que agora é verdade daqui um instante já não é e em vez de tentar encontrar uma zona estável para me sentir confortável tenho apenas que ter em mente que tudo muda e dançar ao ritmo que a vida me apresenta. Tenho que largar as resistências e aquilo que conheço, pois só assim poderei realmente viver e usufruir do novo, a cada instante.

É mais fácil escolher estar bem do que estar mal: posso dar mil e uma justificações para me sentir mal, mas a verdade é que se eu estou mal é porque assim o escolhi. O motivo que eu uso como desculpa para não estar a fluir pode ser o mesmo que me impulsiona para a frente e me faz mergulhar de cabeça no fluxo da vida. Se estar bem é aquilo que eu procuro em todos os momentos e se é uma escolha minha, só posso chegar à conclusão que é bem mais fácil estar bem que estar mal.

Só tenho que confiar: não tenho que prever o que vai acontecer nem preparar-me para as eventualidades. Só tenho que confiar. A minha visão da realidade é limitada, coberta de julgamentos que ainda distorcem mais aquilo que está acontecer. O meu “trabalho” nesta vida é só confiar, para permitir que tudo se encaixe de maneira perfeita e tudo o que eu precise venha até mim. Sempre que eu tento manipular e controlar, só estou a criar aquilo que quero evitar.

Assim dou as boas vindas ao mês de julho, um mês com uma data muito especial.

Obrigado junho e bem-vindo Julho!

Ângela

3 Lições que aprendi em Abril – 2020

lições abril

Abril tem sido sempre um mês de grandes mudanças e este ano posso dizer que foi um mês em circunstâncias que nunca antes vivi. Deixo aqui três das muitas lições que os 30 dias de Abril me trouxeram através de todas as situações únicas que me foram apresentadas.

  • É muito importante amar-me: tenho uma grande tendência para o perfeccionismo e isso leva-me a ser muito dura comigo mesma. Em diversos momentos questiono-me se estou a fazer um bom trabalho e crio padrões altíssimos a cumprir. Isto é resultado de uma baixa auto-estima, portanto uma das lições deste mês é mais uma vez a importância de me amar.
  • É a fazer que se cresce: hoje tudo aquilo que me é natural fazer é resultado de toda a prática adquirida com o ir fazendo. É fazendo e pondo em prática aquilo que vou aprendendo que cresço em todas as áreas da minha vida. Seja na cozinha, seja na escrita ou mesmo a nível emocional, só o pôr ação é que me dá experiência e que permite o meu crescimento. Muitas vezes, talvez devido ao perfecionismo, quero saber fazer bem à primeira, sem passar por todo o processo e começa o ciclo de ser dura comigo mesma ( e tenho que me relembrar da lição acima).
  • Cada um tem o seu percurso: é uma estupidez tecer julgamentos e achar que os outros deviam viver uma vida diferente; cada um tem o seu percurso. Quando observo a vida de alguém e as suas escolhas devo sempre colocar uma postura de amor, que tanto ajuda o outro a crescer ao seu ritmo, como me ajuda a mim, pois já não caio no erro de julgar e pensar que eu é que sei qual a maneira certa de viver.

Obrigado Abril e bem-vindo Maio!

Ângela

Imagem de Capri23auto por Pixabay

3 lições que aprendi em março – 2020

lições de março

Desta vez as lições de março vêm um “pouco” atrasadas, mas não poderia deixar de inventariar um pouco daquilo que março me trouxe.

De tudo aquilo que aprendi ao longo do mês de março, escolhi as três lições que mais me “marcaram”, mas de certeza que existem muito mais e só uma fase como esta as poderia trazer. Estamos a passar por algo nunca antes visto, que está a mexer com todas a estruturas. Já escrevi sobre algumas destas lições antes, mas nunca as senti com tanta intensidade como agora.

Não posso tomar nada por garantido: de um momento para o outro tudo muda. Aquilo que eu dou como certo agora, pode nem existir amanhã. Não há tempo para indecisões, medos ou dúvidas; o momento para pôr ação é Agora, pois o amanhã não está garantido. Eu não poderia imaginar, no início deste ano, que o mês de março se iria desenrolar desta forma. Porque é que dou como garantido um futuro desta ou daquela maneira?

Se tiver que acontecer, acontece: Não adianta tentar controlar ou manipular para que as coisas aconteçam de uma determinada maneira (isso só criará sofrimento). Se as coisas tiverem que acontecer, acontecerão. Se eu quiser criar algo na minha realidade, só tenho que pôr ação e largar, que tudo aparecerá no momento perfeito. Se sentir que estou a adiar ou a fugir a algo, o melhor a fazer é baixar os braços e aceitar o que está a acontecer.

Estar bem deve ser o principal foco: não adianta andar distraída em folclores; o meu principal foco deve ser sempre ESTAR BEM. Se eu estiver bem, tudo fluirá e estarei sempre atenta a todas as aprendizagens da vida. Estarei preparada para usufruir de tudo e principalmente de me entregar à vida e a todas as suas bênçãos.

Estou grata a Março por todos os seus momentos e aprendizagens!

Obrigado Março!

Ângela

3 lições que aprendi em Fevereiro – 2020

Fevereiro é o mês mais curto do ano, mas isso não significa que não seja tão rico em aprendizagens como os restantes. Estas são três das muitas lições que a vida me trouxe nestes 29 dias:

O perfecionismo é consequência de uma baixa autoestima: apesar de muitas vezes ter tido “sinais” de que eu era perfecionista, demorei algum tempo a admitir para mim mesma que tinha esta característica. Desse momento para cá têm ocorrido diversas mudanças na minha maneira de agir em relação aos acontecimentos, aos projetos que desenvolvo e especialmente em relação a mim mesma. A minha necessidade de ser perfeita vem da minha procura de valorização, porque eu própria não me amo e aceito tal como sou. O primeiro passo está dado e agora é estar atenta e trabalhar a minha autoestima.

Tenho aquilo que preciso, sempre: seja uma situação para resolver, uma pessoa com que me deparo ou qualquer outra coisa que eu possa imaginar; tudo aquilo que acontece é exatamente aquilo que eu preciso. Para que eu possa ir do lugar onde estou para o lugar onde quer ir, tenho que passar por um processo, uma caminhada por assim dizer. Portanto, tudo aquilo com que me deparo faz parte do meu percurso e a aceitação plena dessa verdade, leva-me da resistência para um fluxo de crescimento e alegria contante.

É necessário passar pelo processo: ainda dou por mim a não querer passar pelo processo que me leva ao resultado final. Quero fluir com a vida sem passar pelo processo que me leva à entrega. Quero conseguir fazer muitas coisas na minha vida, sem viver tudo aquilo que faz parte disso mesmo. Cada vez que me apercebo desse padrão, desperto cada vez mais para a consciência que ainda estou agarrada à cultura do instantâneo, de querer as coisas para ontem e não de permitir que tudo aconteça no momento certo. No fundo, estou a passar pelo processo de tomada de consciência que a vida é um fluxo e não a corrida a um destino final.

Estou grata por todos os momentos de Fevereiro; por todas as pessoas que cruzaram o meu caminho e por todas as aprendizagens!

Obrigado Fevereiro e bem-vindo Março!

Ângela

3 lições que eu aprendi em março de 2019

3 lições que eu aprendi em março de 2019

Março, o mês em que se inicia a primavera. As flores começam a desabrochar, os pássaros ouvem-se cantar com mais alegria; começa um novo ciclo.

Desde 2013 que todos os anos são sinónimo de mudança e o mês de março representa um grande marco no que toca a metamorfoses e transformações.

De entre tudo o que aconteceu durante estes 31 dias, deixo 3 lições que aprendi em março:

  • Tudo acontece no momento certo: por muitas voltas que dê, por muito que tente manipular e por muito que eu aja de maneira a que todo o fluxo fique bloqueado; as coisas vão acontecer no momento certo. Quando eu estiver pronta tudo se encaixará e irei ter aquilo que eu preciso, no momento certo.
  • Entregar-me plenamente ao que faço: para que possa sentir satisfação naquilo que faço e para que os resultados que eu receba sejam sempre os melhores possíveis tenho que me entregar plenamente àquilo que faço, sem medo e dúvidas e principalmente sem apego nem expectativas em relação àquilo que possa vir no futuro, fruto das ações de hoje.
  • Se não me sentir bem, nada vai estar bem:  por muitas voltas que dê, por muito que procure fora de mim, se eu não me sentir bem comigo mesma, não me poderei sentir bem com nada e nada estará bem à minha volta.

Obrigado Março e bem-vindo Abril!

Ângela Barnabé

3 lições que aprendi em fevereiro de 2019

3 lições que aprendi em fevereiro de 2019

Fevereiro, o segundo mês do ano. O mês mais curto, mas que não foi por isso sinónimo de menos mudança ou de menos vida.  Com tudo o que aconteceu, aqui vão três lições que aprendi ao longo destes 28 dias:

Fazer e largar sem apego ao resultado é garantia de sucesso: esta lição é resultado de coisas que foram acontecendo desde dezembro de 2018, mas foi em fevereiro que me apercebi que quando dou o meu melhor, confiante de que o que acontecer será sempre o melhor, tudo flui com uma suavidade enorme e aquilo que recebo no final é sempre melhor do que eu poderia imaginar.

Aquilo que é meu é aquilo que eu escolho usufruir: por muitas coisas que eu possa ter, por muito que eu possa ler, ouvir e conhecer, aquilo que é realmente meu é o que eu escolho usufruir. O que eu recebo das situações é o que eu escolho levar comigo, portanto tenho que estar atenta àquilo que eu escolho carregar durante esta viagem que é a vida.

Seja o que o Universo quiser: esta lição esteve tão presente que até escrevi uma reflexão dedicada inteiramente a ela. Este é um truque que eu utilizo para aprender a confiar. Em vez de perder tempo a pensar no que pode ou não pode vir a acontecer, escolho confiar naquilo que o Universo e a Vida trazem até mim, agradecendo todas as oportunidades de crescimento.

Obrigado fevereiro e bem-vindo março!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest