responsabilidade

A postura com que eu ajo é muito importante. Aliás posso mesmo dizer que é a postura que dita o resultado final de uma ação.

O motivo por detrás de muitas coisas que fiz no passado foi a culpa. Fiz muitas coisas “boas” porque me sentia mal por todas as “más” que fui fazendo. Não é que haja coisas más e boas, mas o sentimento por detrás de algumas delas não era o melhor.

Por vezes havia muito pensar e pouco agir, e em vez de mudar e passar a agir culpava-me da falta de ação. Quando agia fazia-o sempre tendo em mente o facto de o não ter feito antes, perpetuando o mal-estar.

Mas, quando comecei a agir com responsabilidade e com aceitação perante o fluxo e processo da vida o resultado começou a ser diferente.

A culpa perpetua o sofrimento e cria cada vez mais mal-estar. A responsabilidade permite a mudança e promove um bem-estar contínuo.

Antes de tomar alguma decisão e de agir perante qualquer situação preciso estar atenta ao que sinto e qual é a postura que estou a apresentar. Sinto-me bem naquele preciso momento?

Se a resposta for afirmativa posso agir ou tomar uma decisão. Mas se for negativa o melhor é escolher estar bem e agir a partir desse estado.

Responsabilizar-me é assumir o comando da minha vida e permitir que uma mudança aconteça. Culpar-me é continuar a criar sofrimento e semear mais daquilo que não quero colher.

A escolha é minha.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Madison Bersuch on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!