entregar-me

Eu sei que já escrevi imensas vezes sobre confiar e entregar-me à vida, mas nunca é demais relembrar-me do quanto eu me impeço de viver.

É nas pequenas coisas, nos pequenos momentos que me apercebo que muitas vezes, com medo não sei do quê, deixo que as coisas passem ao lado e evito passar por determinadas situações.

Para crescer há que aprender a lidar com as emoções, com os pensamentos e com tudo o que está relacionado com o dia-a-dia. E para aprender é preciso fazer e principalmente estar aberta àquilo que a vida me traz.

Não tenho que passar por situações desagradáveis para aprender; posso basear-me na  experiência dos outros. Mas para isso não posso resistir, pois quando o faço a bolha que me rodeia fica mais espessa e apenas consigo ver aquilo que me “apetece”.

O principal, muitas vezes, é sair do meu próprio caminho e entregar-me à vida.

Pensar, controlar e resistir são “hábitos” que tenho que perder e quanto mais me permito viver em alegria, mais fácil é transformar tudo o que acontece naquilo que preciso.

A vida sabe o que faz e se eu fizer aquilo que tenho que fazer de certeza que tudo acontecerá da melhor forma. Basta fazer e largar.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Papaver rhoeas on Unsplash

Pin It on Pinterest