estar mal

Ao contrário do que eu pensava, aquilo que os outros sentem não pode ditar aquilo que eu sinto.  Durante muito tempo deixei que o bem-estar (ou a ausência dele) dos outros influenciasse o meu estado de espírito.

Para que eu estivesse bem, todos tinham que estar bem e isso necessitava de um esforço muito grande da minha parte. Ficava muito frustrada quando, após algumas ações da minha parte, as pessoas continuavam a escolher estar mal.

Isso é uma maneira bastante estúpida de viver.

Hoje sei que aquilo que eu tenho conhecimento é da minha responsabilidade, mas eu não tenho qualquer direito de querer alterar aquilo que os outros sentem.

Posso disponibilizar-me para ajudar caso alguém necessite, mas nunca posso pôr a responsabilidade aquilo que o outro sente nas minhas mãos.

Isso simplesmente não me pertence.

É da minha responsabilidade estar bem, independentemente daquilo que esteja a acontecer.

Não é possível ficar indiferente àquilo que acontece por todo o mundo, mas se eu estiver mal apenas estou a contribuir para perpetuar o mal-estar.

Quando estou bem sou capaz de tomar decisões que beneficiem toda a gente, tenho ações com base no amor e de certeza que estou a contribuir para um mundo melhor.

Se estiver mal é mais um a sentir-se mal. Se estiver bem é mais um a sentir-se bem.

Eu posso escolher estar bem ou estar mal e tenho a certeza que se escolher estar bem tudo vai ficar bem melhor.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Tim Wright on Unsplash

Podes também gostar de:

Holler Box

Pin It on Pinterest