fugir às situações

Os momentos que me trazem mais crescimento são aqueles pelos quais não tenho muita vontade de passar. Por isso, na maior parte das vezes posso dizer que fujo ao meu próprio crescimento.

A opção de evitar passar por uma situação para não ter que lidar com as coisas que ela traz parece bastante atraente e até parece que não vai trazer nenhuma consequência. Mas a verdade é que traz bastantes e não são nada agradáveis.

Se eu sei que o caminho é por ali e sei da importância que é passar por ali, se eu evito fazê-lo vai muito provavelmente surgir a culpa. Por muito que eu tente justificar e arranjar outras maneiras de continuar o percurso, convencendo-me que até são melhores do que aquela que eu evitei, eu sei que manipulei as coisas.

A perspectiva de fazer algo que me mete medo e que mexe na minha zona de conforto não é muito agradável. Mas a sensação de realização e o crescimento que fazer o que quero evitar me traz é muito superior ao desconforto de o fazer.

Fugir às situações é uma forma de adiar, mas não é uma forma de evitar por completo aquilo que tenho que fazer. Mais cedo ou mais tarde terei que passar por isso.

Se já adiei coisas no passado e me sinto culpada tenho que me libertar da culpa. Ter evitado a situação não foi inteligente, mas somar culpa à equação ainda vai complicar mais a situação.

Se adiei há que reconhecer isso, aprender a lição e estar preparada para a nova oportunidade de crescimento.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Copied!