ansiedade

Pelos muitos conceitos errados acerca da vida e do seu fluxo que eu fui criando ao longo da minha vida, tornei-me uma pessoa ansiosa. Eu estava sempre num estado tal de ansiedade que no momento em que consegui ficar serena, senti-me estranha.

(É muito “interessante” o facto de eu, no passado, considerar normal o estado de ansiedade e não o estado de serenidade.)

Queria controlar a forma como as coisas se desenrolavam, a forma como os outros se comportavam… Tinha medo que as coisas não corressem bem e por isso achava que tinha que estar sempre em cima do acontecimento.

Mas estava a fazer tudo ao contrário. Ao manipular, controlar e tentar prever o que ia acontecer, acabava por complicar e por criar situações que não queria experienciar. E mais; no final, depois de ter aquilo que queria ( e muitas vezes algo ainda melhor), não conseguia apreciar as coisas devido a estar ansiosa.

Estava sempre esmagada pelo medo e pela culpa e quanto mais me deixava levar por isto, pior me sentia.

Se eu tiver como foco estar bem e de isso for a minha prioridade em todos os momentos da minha vida, estarei sempre no lugar certo, na hora certa, a fazer a coisa certa.

Hoje ainda tenho momentos em que sinto ansiosa. Mas sei que isso tem uma solução: confiar.

Confiar em mim, na vida, no mundo e sentir-me bem com aquilo que sou. Se eu fizer isso de certeza que a ansiedade se vai embora e é substituída por serenidade.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Copied!