impulso

Quando comecei a mudar a minha maneira de ver a vida, comecei também a mudar os meus hábitos e a forma como agia. Mas, nem sempre a tendência era para agir consoante a nova consciência.

Aliás, mesmo hoje, por vezes dou por mim a resistir em vez de fluir; negar em vez de aceitar; vitimizar-me em vez de me responsabilizar…

O primeiro impulso é fazer as coisas da maneira que sempre fiz (ainda que eu saiba que isso não funciona), mas o que contribui mais para o resultado final e para o desenrolar de uma  de situação é se eu continuo com a tendência ou se decido agir de uma maneira diferente.

Por exemplo, vamos imaginar que eu sempre fico irritada quando tenho que ficar numa fila de espera. Quando me deparo com uma fila, a primeira tendência pode ser a irritação, mas rapidamente posso transmutar isso para algo diferente.

Posso escolher praticar a aceitação e aprender a lidar com o facto de estar numa fila.

O importante é escolher conscientemente. Essa escolha pode não ser a primeira e pode não surgir imediatamente, mas devo fazê-la o mais rapidamente possível.

Se alimento o padrão antigo ele continuará a prosperar na minha vida. Mas se eu mudar as minhas decisões sempre que tenho essa oportunidade, uma nova consciência será alimentada e aos poucos será a única a existir.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest