As opções que eu tive no passado foram aquelas que eu conseguia conceber. As minhas escolhas eram baseadas naquilo que eu pensava ser melhor para mim.

Hoje, as coisas estão diferentes, porque eu mudei. Vivo de forma diferente porque escolhi uma forma diferente de viver.

Nunca me perguntei o que é que eu realmente queria viver. Deixava-me andar à deriva, reclamando daquilo que eu vivia. Invejava os outros e não gostava daquilo que experienciava, mas não mudava nada.

Não posso esperar que “as coisas me caiam em cima”. A vida não requer sacrifício nem esforço, mas tem que haver alguma ação da minha parte.

E a maior parte das vezes a ação é simplesmente mudar a forma como vejo as coisas e em cada momento mudar a forma como reajo às situações.

Antes de me dirigir a algum lado tenho que saber onde me encontro.

Então pergunto “O que é que eu quero viver?”… Quero viver aquela vida cheia de entusiasmo, amor e alegria ou quero viver na indiferença?

Eu escolhi uma vida real, algo que me faz vibrar. Não é preciso nenhum esforço para a viver e podia usar tudo aquilo que tenho hoje para viver uma vida infeliz..

A escolha é minha: o que é que eu quero viver?

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest