mal

Não sei o que motivou este meu comportamento, mas a verdade é que durante muito tempo me treinei para pensar no que poderia correr mal.

O meu foco, através desta minha forma de agir, estava sempre no pior que poderia acontecer.

Às vezes aquilo que eu mais temia acontecia e eu pensava em como eu tinha razão em estar preocupada. Outras, quando tudo corria de forma tranquila, nunca me sentia serena, pois estava sempre à espera que algo surgisse e arruinasse o momento.

No fundo, o que é que corria mal? Eram as coisas que eram más ou era a minha postura que já estava nisso mesmo?

O mal-estar que eu sentia era causado pelo meu foco e pela ocupação da minha mente por coisas que eu não queria. Correr mal ao bem não é algo já definido, tem a ver com a minha postura.

Já aconteceram situações bastante “graves” na minha vida e eu lidei com tudo como sendo o melhor que me podia ter acontecido. Mas também já considerei autênticos desastres coisas sem importância nenhuma.

O pior que pode acontecer é eu não estar bem comigo mesma e decidir com base no medo, na dúvida ou fazer para que gostem de mim.

E o melhor de tudo é que isso é uma escolha minha. Posso decidir estar bem ou posso escolher estar mal!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Rémi Walle on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!