meu valor

Quando se tem uma baixa autoestima, é normal procurar-se  valorização do exterior. E eu, com uma baixa autoestima, sempre senti a tendência para encontrar o meu valor naquilo que os outros pensavam de mim.

Fazia as coisas para me sentir valorizada, para agradar aos outros. Sempre que sentia que não me estavam a dar o valor que eu achava que merecia, ficava mal comigo mesma e com os outros.

Com o tempo venho aprendendo que  sempre que eu me sentir valorizada com base no que os dizem, fazem ou pensam de mim, estou a criar algo com base na ilusão e não em algo que é verdadeiro.

Nada do que eu sinto acerca de mim mesma pode depender do exterior.

Se eu me sentir bem comigo mesma, se fizer as coisas com amor e se não colocar nenhuma expectativa naquilo que faço, aí poderei encontrar o meu valor.

Fazer coisas com o “olho” no resultado, neste caso, com o foco no vir a receber o valor de determinadas pessoas em determinado momento, para além de bloquear o fluxo, faz com que os meus atos não sejam genuínos.

Aliás, eu já tenho valor. A minha existência é importante para este planeta. Mas se eu perder tempo atrás de um reconhecimento exterior, irei descuidar a minha missão e estarei a desperdiçar o meu tempo em algo que, a seu tempo irá chegar.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest

Copied!