Hoje pensei um pouco no meu percurso. Nunca poderia imaginar estar no ponto em que estou neste momento.

Já senti raiva pelo meu percurso, pois achava que se as coisas tivessem sido diferentes, eu seria uma pessoa diferente.

Culpava a minha educação, o sistema, as pessoas que me rodeavam, pois considerava que elas eram responsáveis por aquilo que eu era. Vivia na ilusão, vítima dos acontecimentos.

Aos poucos comecei a ver que tudo aquilo não era a causa daquilo que eu sentia, mas sim o efeito daquilo que acontecia interiormente.

Mudei e as coisas mudaram, mas esse meu percurso continua cá e é isso que me faz ser a pessoa que sou hoje.

Os acontecimentos apenas me condicionam e me limitam se eu permitir que isso aconteça. A minha história foi escrita com a minha perspetiva da altura, mas agora posso reescrever todo aquele enredo à luz de uma nova visão.

Já achei que sabia tudo e que podia ensinar os outros como viver. Fui arrogante ao ponto de pensar que já tinha atingido um patamar que me fazia superior aos outros.

Mas depressa vi que tudo isso era uma outra forma de baixa-autoestima. Umas vezes sentia-me no topo e outras lá em baixo.

Cada dia escrevo uma nova página do percurso que é a minha vida. Cada dia é uma nova aprendizagem, uma nova oportunidade de crescer.

A vida é tão boa que nos dá a todos 24 horas por dia para que possamos usufruir e criar mais daquilo que desejamos.

O poder de mudar, de criar algo diferente está nas minhas mãos.

Se sinto que a minha vida está nas mãos de outros foi porque eu própria a coloquei lá. Já senti bem na pele o que é ver a responsabilidade da minha vida nas mãos dos outros.

Mas também já senti o prazer de criar a minha vida de sonho.

Obrigado por este dia repleto de alegria.

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Pin It on Pinterest