Hoje pensei no meu percurso até agora. Nas minhas decisões, naquilo que as motivou e nos resultados que fui obtendo.

Durante muito tempo quis transformar-me numa pessoa melhor para provar aos outros o meu valor. Queria que todas aquelas pessoas que não gostavam de mim, olhassem para mim e finalmente vissem o meu valor.

Mas isso estava a destruir-me. Da mesma forma que sempre me tentei modificar para agradar aos outros, continuava a fazê-lo, desta vez achando que estava a ter uma atitude muito nobre.

Também me foquei muito nos aspetos que queria mudar em mim. Aliás, tudo aquilo que eu queria mudar estava constantemente na minha mente e quanto mais me focava nisso, mais parecia que afirmava essas características.

Aos poucos fui expandindo a minha consciência e vendo que o motivo por detrás de todas as minhas decisões tenho que ser eu.

Nunca posso tomar uma decisão com base no que os outros pensam ou no que gostariam que acontecesse. Tenho que pensar naquilo que está em harmonia comigo.

Vivemos numa sociedade e fazemos parte de um todo. Tudo aquilo que eu faço aos outros, faço a mim mesma. Se me permitir ser quem realmente sou, se respeitar e aceitar todo o meu percurso, estarei não só a melhorar a minha vida, como também estarei a aplicar isto à vida dos que me rodeiam.

O caminho da autoaceitação tem sido bastante interessante. Quando me comecei a focar mais em aceitar tudo aquilo que decidi e experienciei pude aproveitar toda aquela aprendizagem e tomar decisões mais conscientes.

Não tenho que provar o meu valor, pois cada vez que o faço estou na verdade a desvalorizar-me.

Se a vida que tenho me agrada; se acordo todos os dias na expectativa das oportunidades que irão surgir, apenas tenho que continuar este caminho pois aquilo que semeio está em sintonia com aquilo que quero receber.

Obrigado por este dia repleto de amor!

Até amanhã!

Ângela Barnabé 

Foto original por Marko Blažević on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!