Relacionar-me

As relações desempenham um papel muito importante na vida de qualquer um.  Apesar de cada pessoa ter a sua importância na sua individualidade, é na união de projetos e sonhos, é no percorrer da caminhada em conjunto que se cria algo melhor e mais rico.

Portanto, a forma como eu me relaciono com os outros vai interferir naquilo que eu posso vir a criar na minha vida.

Eu tinha a crença de que o mundo era um lugar perigoso; daí tinha medo das pessoas, porque nunca sabia o que elas me poderiam trazer. Agia sempre desconfiando das pessoas, o que me impedia de me entregar seja em que relação fosse.

Tinha medo de ser julgada e queria que todos gostassem de mim, portanto criava uma imagem que pudesse agradar aos outros, nunca me permitindo ser eu mesma.

Tudo aquilo que eu acreditava em relação ao mundo, impedia-me de vê-lo com os olhos de uma criança que, com expectativa, encara as infinitas possibilidades de uma nova aventura. Eu via tudo com uma perspetiva obscura, que não me permitia sequer conhecer-me a mim mesma e explorar todas as minhas capacidades.

Jogar pelo seguro não me traz nada daquilo que eu realmente procuro. Por detrás do lidar com as situações está o meu crescimento pessoal. Por detrás de lidar com os medos está a satisfação de sentir que sou capaz de fazer aquilo que concebo na minha mente.

Há que dar um passo para fora da minha bolha. Há que confiar e saber que o mundo é um reflexo de mim mesma e que o primeiro passo para criar uma boa relação com os outros  é criando uma relação comigo mesma.

Grata por este dia repleto de alegria,

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest