saber e sentir

A vida é um caminho constante de crescimento e evolução. À medida que vou expandindo a consciência, vou “acordando” para diversos aspetos que já não fazem sentido e para outros que estão muito mais em harmonia com aquilo que quero experienciar.

Vou “sabendo” qual é o caminho que quero seguir; “sabendo” qual é a melhor maneira de viver; “sabendo” que o importante é estar bem.

Mas só saber não é suficiente, é preciso sentir. O treino em cada momento do dia permite essa transformação.

Com cada acontecimento que eu nunca poderia imaginar e com o “abanar” daquilo que me é conhecido vou passando do “eu tenho que confiar na vida” para “eu confio que tudo é perfeito”.

Com cada pensamento negativo acerca de mim, do meu corpo, da minha personalidade e do meu trajeto, ocorre uma transformação de “tenho que gostar de mim” para “ eu amo-me, eu aceito-me, eu aprovo-me tal como sou”.

Com cada adiar, com cada medo, insegurança e receio do que pode vir a acontecer, passo do “tudo o que acontece é o melhor para mim” para “tudo tem um propósito”.

A decisão de mudar é algo que traz muita responsabilidade. Tira-me do papel de vítima e dá-me o comando da minha vida.

Enquanto me recosto na zona de conforto e deixo andar, apesar de saber o que fazer, vou-me tornando cada vez mais insatisfeita com tudo o que me rodeia.

Isso foi o que aconteceu durante muito tempo: uma vida de indiferença, um “quero lá saber”. Eu sabia que tinha que existir algo mais do que aquela dormência que me dominava. Algo que se assemelha àquilo que tanto ouvia pregar: a felicidade, o bem-estar e o amor.

Eu sabia que havia uma maneira, mas não sentia vontade de a seguir. Não sentia a vida a correr-me pelas veias, não sentia a felicidade que tanto desejava.

Tive que mudar. Tive que tomar uma ação e mesmo nos momentos em que sabia e não sentia, continuei, mesmo com o medo e a insegurança presentes.

Hoje, ainda não sinto tudo aquilo que sei. Ainda não sinto o amor na sua plenitude. Ainda não sinto a confiança plena na vida e em mim.

Mas sinto tantas outras coisas que no passado apenas eram palavras ditas e escritas e desejos que pairavam sobre mim.

Quando se caminha com confiança, ou pelo menos, com o desejo de crescer e de ser alguém melhor vai-se aprendendo, vai-se sabendo.

Até que quando menos se espera sente-se! Vive-se!

Ângela Barnabé

Pin It on Pinterest