sentir a vida

Uma vez li uma frase que dizia “A vida começa fora da zona de conforto”. Essa frase fez-me pensar na minha conduta e no quanto eu dependia da zona que eu conhecia para me sentir segura.

Se realmente pensar nisso, a zona de conforto não é nada confortável. Pode ser uma zona conhecida, mas no fundo ninguém se sente verdadeiramente bem lá.

Quanto mais medo e ansiedade fui sentindo ao longo dos tempos, mais me fechei numa bolha. Precisava de fugir à vida, pois ela era ( e é) bastante imprevisível.

Talvez se eu me fechar àquilo que não consigo controlar, me possa sentir bem, pensei eu muitas vezes.

Mas a verdade é que, quanto mais fugi da vida, quanto mais me afastei dos acontecimentos, pior me senti, e mais problemas fui criando.

Hoje, consigo identificar uma “incapacidade” de sentir a vida. Parece que não sei viver. De tanto me fechar, de tantas barreiras que criei desaprendi a viver.

A zona de conforto foi sempre uma prisão. Tudo aquilo que eu queria estava fora da zona que eu conhecia.

Como é que eu podia esperar que as coisas viessem até mim, se eu me fechava a essa hipótese?

Eu não queria coisas que eu não pudesse controlar, e hoje sei perfeitamente que eu não posso controlar nada, muito menos o fluxo e processo da vida.

Por um lado queria sentir a vida e por outro fechava-me a “sete chaves” e ignorava as bênçãos que se encontravam lá fora à minha espera.

Todos os dias têm sido novas descobertas e aprendizagens.

A vida está fora do meu controlo e estará lá sempre para me trazer tudo o que é melhor para mim.

Basta permitir que isso aconteça!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Alysa Bajenaru on Unsplash

 

Pin It on Pinterest