loader image

Mudar a minha realidade – 144 de 365

mudar a minha realidade

Eu treinei-me para me focar naquilo que eu não queria e na falta de beleza da minha vida. Não sentia que a vida tinha aquela alegria que sempre pensei que teria.

Quanto mais acreditava que a vida era algo sombria, menos razões via para ver a vida com outra luz e mais acreditava que não tinha nascido com sorte.

Cada vez que me lembro da forma como via a minha realidade, fico bastante surpreendida pela falta de confiança e pelo excesso de comodismo que exista dentro de mim.

Para mudar de vida não são necessárias grandes coisas: uma das mais importantes é ter uma vontade real de mudar e depois estar aberto para que as coisas aconteçam de forma diferente.

Queixava-me muito daquilo que vivia mas também não fazia nada para que as coisas fossem diferentes. Só quando decidi que realmente queria passar por uma metamorfose é que algo mudou.

Não digo que hoje não me deixe levar pelo comodismo ou que não exista uma parte de mim que quer as coisas à minha maneira; isto ainda está cá.

Mas também existe uma parte de inteligência em mim que me faz pensar na estupidez que é perpetuar qualquer tipo de mal-estar para querer ter razão.

A minha realidade vai mudando consoante a minha consciência muda. Posso dar muitos motivos para justificar o estado das coisas, o porquê de algo ter acontecido, mas eu hoje sei ( a acho que sempre soube) que a responsabilidade é sempre minha.

A mudança é tão simples quanto eu queira que ela seja e muitas vezes basta que eu saia do meu próprio caminho para ela acontecer!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Amith Krishna on Unsplash

Encontro sempre o que procuro – 90 de 365

encontro

Será que o que eu sempre procurei não esteve sempre ao pé de mim?

Tenho refletido na importância da expansão da visão e da minha consciência.

Quanto mais me abro às possibilidades e à vida, mais vejo qual é o meu papel na criação da minha realidade.

Posso acreditar que não tenho sorte porque as coisas não acontecem à minha maneira ou posso sentir-me grata pela vida me apresentar as coisas da melhor forma possível.

Eu encontro sempre o que procuro.

Enquanto procurei motivos para justificar a minha situação, encontrei mais do que um. Mas, quando procurei motivos para mudar e para viver uma vida melhor, não faltaram razões para isso mesmo.

Se quero mudar aquilo que encontro, tenho que mudar a lente com que vejo as situações e a postura com que lido com a vida.

A vida é o que faço dela e hoje sei que posso mudar a todo o instante aquilo que encontro e aquilo eu procuro.

Obrigado!

Ângela Barnabé

 

Foto original por Gabriel Santiago on Unsplash

Ser especial – 82 de 365

especial

Eu queria ser especial desde que me lembro. Queria que as pessoas reparassem em mim, que falassem de mim, que eu fosse importante na vida delas. Fazia tudo para chamar a atenção e para que me valorizassem, mas cada vez me sentia pior comigo mesma.

Uma vez li, de um texto de Osho, que a forma de sermos especiais é tornarmo-nos comuns. Eu não quis aceitar isso, pois o meu principal objetivo era ser notada, para ser especial na vida das pessoas.

Olhando para trás, vejo que uma das motivações por detrás daquilo que fiz foi uma procura constante de valorização e de aprovação por parte das pessoas que eu “admirava” e que muitas vezes representavam autoridades na minha vida.

Hoje sinto-me especial e isso não significa que sou mais importante ou de alguma forma superior aos outros.

Quanto mais me “conheço” e expando a consciência para a realidade que me rodeia, mais vejo a importância de cada ser humano e o quão perfeito é o fluxo na minha vida.

As pessoas que me rodeavam estiveram lá para me ajudar a cumprir o papel que eu própria escolhi. “Mascarei-me” de pessoa não merecedora e todos me ajudaram a desempenhar esse papel.

Escolhi ser uma pessoa melhor e cada ser com que me encontro ajuda-me a cumprir isso mesmo…

Sou especial, assim como todos os outros. Sou importante, assim como toda a gente.

Sou o melhor que posso ser e a cada dia que passa permito-me reconhecer a perfeição da vida e o milagre que é o amar-me e aceitar-me como sou.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por chuttersnap on Unsplash

O mundo é um reflexo de mim mesma – 77 de 365

reflexo

Quanto mais expando a minha consciência, mais me apercebo do quanto o mundo é um reflexo de mim mesma.

Se me sinto bem comigo mesma, tudo vai fluir na perfeição; o dia é aproveitado ao máximo, consigo fazer diversas tarefas e sinto-me sempre realizada. As pessoas com que me encontro contribuem com pequenos atos para o meu crescimento pessoal e sou presenteada com pequenos “milagres” em cada novo ciclo de 24 horas.

No passado as coisas não eram bem assim. Sentia-me mal e por muito que me fossem apresentados motivos para me sentir melhor, o meu foco era sempre em algo que me trouxesse algum tipo de ansiedade ou medo.

O foco mudou e a consciência expandiu-se. Consigo ver as coisas de outra perspectiva e permito que tudo se desenrole de uma maneira diferente.

Quando limito as possibilidades, através de uma consciência mais fechada, só posso colher aquilo que se encaixa na visão que tenho naquele momento.

Se me sentia mal comigo mesma, não conseguia conceber sentir-me bem, nem mesmo viver num mundo em que todos se valorizassem e me ajudassem a crescer.

Apenas mudando a minha consciência e alargando os limites da minha visão, pude deixar que determinados acontecimentos “entrassem” na minha vida.

Não foi só mudar a perspectiva, foi também um alargar de horizontes. Hoje sei que o mundo é um espelho e se quero ver uma melhor imagem refletida, tenho que projetar algo melhor.

Se quero que a imagem no espelho se expanda, tenho eu própria que permitir que a minha consciência de expanda e crie algo cada vez maior.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Jonathan Knepper on Unsplash

A minha perspetiva – 62 de 365

perspetiva

Tenho refletido muito na minha forma de agir e principalmente na maneira como fui vendo aquilo que aconteceu no passado, na minha vida.

Ao olhar para trás e ver os acontecimentos de forma diferente, consigo alterar os sentimentos resultantes de determinada situação e daí posso retirar alguma aprendizagem.

Mas se eu hoje consigo ver as coisas de forma diferente, será que aquilo que eu considerava verdade era realmente verdade ou tudo não passava de uma questão de perspetiva?

Eu via-me como uma vítima do mundo e vivia com indiferença. Cheguei a um ponto da minha vida em que não sentia entusiasmo por nada, apenas ansiedade e medo faziam parte da minha realidade.

Por muitas coisas boas que me fossem apresentadas, a minha perspetiva apenas me permitia ver o lado “mau”, em que tudo aquilo que eu absorvia era a ideia que tudo estava contra mim.

Alterando essa forma de pensar, mesmo acontecendo as mesmas situações, posso facilmente ver que tudo acontece sempre da melhor forma e que tudo acontece sempre para meu benefício.

O que importa perante uma situação é a postura que tenho relativamente a ela e isso vem da minha consciência, que me dá uma perspetiva da realidade.

Se eu trabalhar por expandir a minha consciência, com certeza que a minha perspetiva se irá alterar e com isso poderei não só usufruir de uma melhor realidade, como cada vez mais criarei um mundo cada vez melhor para mim e para os outros.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Aaron Burden on Unsplash

Pin It on Pinterest