loader image

Apreciar a viagem – 91 de 365

apreciar

Cada vez mais tomo consciência da importância de apreciar a viagem que é a vida. Por muito que eu possa pensar que é o resultado final que interessa, a verdade é o percurso acaba por ser o mais importante.

O destino final apenas serve para me pôr em movimento.

Quantas coisas descobri sobre mim enquanto me dirigia a um objetivo? Quantos medos eu trabalhei ao colocar ação? Quantos objetivos maiores e melhores criei ao ir atrás daquilo que eu queria?

Apenas posso sentir satisfação no final quando conseguir apreciar o desenrolar dos acontecimentos. Quando conseguir apreciar o momento presente e tudo o que isso me traz.

Entrei muitas vezes em ansiedade por “viver” aquilo que ainda não aconteceu e em culpa por reviver aquilo que já passou.

O que aconteceu faz parte do meu trajeto e posso escolher ver isso numa nova perspectiva, numa nova luz, de forma a usar isso para o meu crescimento.

O que irá acontecer não posso prever, controlar ou manipular, mas posso estar bem hoje, agora, neste preciso momento, para crescer sempre e desta forma poder tomar decisões mais conscientes, no futuro, quando as tiver que tomar.

Muitas vezes oiço que temos que viver como se não houvesse amanhã e a verdade é que eu não sei se haverá.

Sei que este momento existe, porque eu estou a vivê-lo. Sei que o ontem existiu, mas não sei se o amanhã acontecerá.

A forma que eu tenho de garantir que estou a viver, a usufruir e a apreciar do momento é estando bem com a vida, comigo mesma e com o mundo.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Kace Rodriguez on Unsplash

 

Quando chegarão os resultados? – 57 de 365

resultados

À medida que vou evoluindo vou tomando consciência da perfeição do fluxo das coisas. Com isto, vou também identificando comportamentos que vão exatamente contra essa perfeição.

Se tenho um objetivo, estar em ansiedade para o alcançar é uma grande estupidez. Estar apegada a um resultado também o é.

Eu ponho ação naquilo que quero experienciar na minha vida e não devo estar pré-ocupada com a altura em que obterei os resultados. Porque no fundo o que é que é obter um resultado? Ou melhor, será que o que realmente importa é unicamente o resultado?

Muitas vezes coloquei algo como meta e todo o percurso que me levou até lá foi muito mais importante do que o culminar de toda aquela caminhada. Outras o pôr ação num objetivo, levou-me a outro completamente diferente, muito melhor do que eu poderia imaginar.

Será que é o resultado que me traz satisfação?

Olhando para a minha vida posso ver que o que me deu mais realização foi todo o percurso que me levou ao objetivo, todo o crescimento que passei até que o resultado se materializou. Mesmo que o resultado não tivesse acontecido, toda aquela experiência tinha valido a pena.

Nas alturas em que não apreciei a viagem, o destino não preencheu o vazio e no fundo senti que não tinha tirado nenhum benefício da situação.

Quando chegarão os resultados? No fundo não importa, desde que aprecie a viagem!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Ashley Knedler on Unsplash

A vida é uma viagem… Qual será o seu destino? – 47 de 365

destino

Acreditei durante muito tempo que o meu percurso já estava traçado e que não havia nada a fazer. Nasci com pouca sorte e invejava quem tinha a vida que eu queria viver.

Mas tinha sido eu a traçar aquele destino.

Não interessa onde começamos, sempre ouvi dizer, e por muito que a minha vida num dado momento não fosse aquilo que desejava, tive sempre a oportunidade de mudança nas minhas mãos.

A prova disso é a vida que vivo neste momento. De onde menos espero as oportunidades aparecem e à medida que expando a consciência vou vendo um mundo cada vez mais belo.

Às vezes assusto-me com a possibilidade de não estar a usufruir de tudo aquilo que tenho vindo a receber, pois sei que  se não valorizar acabarei por perder.

Por isso tenho-me focado no apreciar dos momentos.

Perdi tanto tempo a reclamar, a invejar e a dizer mal da vida e durante esse período não via nada de bom naquilo que experienciava.

Mas estava lá. As bênçãos, as oportunidades, o amor, o bem-estar…. Tudo esteve sempre comigo, bastava abrir os olhos.

O destino sou eu quem o traço e as possibilidades são ilimitadas.

Cada vez vejo mais o quanto eu interfiro no desenrolar dos acontecimentos e quanto aquilo que eu acredito molda as experiências que eu vou tendo.

A minha relação comigo mesma serve como guia para as minhas relações com os outros e com a vida.

Basta sentir-me bem com aquilo que sou que tudo se desenrolará da melhor forma.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Niklas Veenhuis on Unsplash

Pin It on Pinterest