loader image

Lidar com a vida – 122 de 365

lidar com a vida

Quando comecei a ver a vida de uma outra maneira pensava que estava aberta para deixar a vida acontecer. Mas a verdade é que não estava.

Tentei fugir a lidar com situações, refugiando-me na zona de conforto. Justificava as minhas ações com as crenças que criei no passado, não permitindo a mudança. Queria as coisas à minha maneira em vez de deixar a vida fluir.

A cada dia que passa tenho que lidar com a vida. Com as situações, os pensamentos e as emoções que vou presenciando no dia-a-dia, sou levada a trabalhar diversos aspetos em mim.

Nesses momentos posso escolher continuar a agir como agia ou escolher algo diferente, algo que esteja em harmonia com o que eu quero viver e com aquilo que faz mais sentido para mim naquele momento.

Quanto mais fujo à vida, mais bloqueio o fluxo.

Há que baixar os braços e entregar. Naqueles momentos em que apetece refugiar-me naquilo que conheço e continuar na minha rotina, há que dar um passo em frente ao desconhecido.

Porque é lá que as coisas acontecem. É lá que o crescimento é possível. É lá que os milagres acontecem e que as bênçãos são trazidas até mim.

A vida é tão bela e vou aprendendo a lidar com ela. Ou melhor, vou aprendendo a lidar comigo para que possa usufruir ao máximo dela.

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Nicolas Outh on Unsplash

Entrega e usufrui – 114 de 365

entrega e usufrui

Em muitas alturas da minha vida senti-me presa a situações, pessoas e emoções. Para onde quer que eu fosse, havia sempre um elo entre mim e algo tipo de mal estar ou incómodo.

Quando não estava presente essa situação, era quase como se eu forçasse algum tipo de preocupação, para me sentir ocupada.

É complicado viver a vida assim, quando aquilo que me move é o foco no estar mal.

Desde que comecei a escrever as reflexões, tenho estado mais atenta à tendência para não estar presente e para estar lá, no lugar daquilo que me preocupa, que me causa ansiedade.

As coisas não se resolvem por me focar constantemente nelas. É ao entregar, colocando ação na mudança que os nós se desatam, e que magicamente tudo cai no seu lugar.

Hoje fui passear e pensei no quantas coisas eu tenho em cada segundo para viver, e no como eu posso escolher sentir e usufruir de cada momento.

Não sei quanto tempo terei para viver determinada situação, nem como e onde estarei amanhã. E isso não importa.

Importa é como eu escolho viver o hoje, o agora.

Os momentos que eu usufruí até hoje ninguém me os pode tirar e quanto melhor estarei hoje, melhor poderei estar amanhã.

Muitas vezes digo para mim mesma “Entrega e usufrui.” Nada pode ser mais importante do que viver o agora, pois é agora que posso decidir o que fazer com aquilo que me é apresentado.

Obrigado!

Ângela Barnabé 

Pin It on Pinterest