autoestima

Sempre me disseram que eu tinha que gostar de mim em primeiro lugar. Aliás, desde que comecei a ver a vida de uma forma diferente que fui alertada para o facto de que a minha relação comigo mesma dita a minha relação com os outros.

Eu achava isso muito bonito e pensava ter percebido o conceito, mas a verdade é que não tinha entendido nada. Continuei a procurar a aprovação dos outros, continuei a tentar fazer os outros gostarem de mim.

Enquanto eu não tiver uma relação saudável comigo mesma, aquilo que eu fizer será sempre “manchado” com a minha baixa autoestima. Se eu me critico, não aceito o meu corpo, não confio em mim e acho que já deveria “isto ou aquilo”, algo não está muito bem.

Se me perguntarem se já melhorei, a resposta é sim.

Hoje sei que o mal-estar pode ser transformado em bem-estar e facilmente altero o meu estado de espírito. Hoje sei que gostar de mim não é impossível e que a cada dia que passa posso sentir-me a pessoa certa, no lugar certo, a fazer a coisa certa.

Tenho uma vida toda para aprender a gostar de mim e quanto mais rapidamente o fizer mais tempo poderei aproveitar a vida maravilhosa que está à minha espera!

Obrigado!

Ângela Barnabé

Foto original por Eva Waardenburg on Unsplash

Pin It on Pinterest

Copied!